A Federação Portuguesa de Futebol procura hoje "impressionar" os delegados da FIFA que estão em Portugal para avaliar a candidatura ibérica à organização do Mundial 2018/2022, apesar de um ano polémico para o organismo de Gilberto Madail.

A suspensão do estatuto de utilidade pública, uma participação no Mundial 2010 recheada de casos polémicos e, mais recentemente, os processos disciplinares instaurados ao seleccionador Carlos Queiroz "assombraram" os últimos meses da FPF, numa altura em que tenta convencer a FIFA a dar luz verde à candidatura ibérica.

No início de Março, o Governo decidiu retirar temporariamente o estatuto de utilidade pública ao organismo que rege o futebol nacional, por não ter adequado os estatutos ao Regime Jurídico das Federações Desportivas, devido a uma "nega" das associações.

Contudo, a decisão, imposta pelo Conselho Nacional de Desporto (CND), acabou por não ter impacto na participação das selecções em torneios internacionais, bem como na realização das competições nacionais.

Mais tarde, em Junho, após o que já tinha sido uma qualificação complicada, a participação de Portugal de Mundial2010, na África do Sul, ficou marcada por alguns episódios controversos entre jogadores e Carlos Queiroz, que culminaram com um "desabafo" de Cristiano Ronaldo após a eliminação perante a Espanha (0-1).

"Porque fomos eliminados? Perguntem ao Carlos Queiroz", afirmou o "capitão" luso, após o encontro que ditou o afastamento de Portugal, nos oitavos-de-final.

Mas, durante o jogo com a selecção que viria a vencer o Mundial 2010, Ronaldo foi também apanhado por câmaras de televisão "indiscretas" a dizer "assim não ganhamos, Carlos", após a substituição de Hugo Almeida.

Antes, Deco já tinha mostrado também insatisfação pelas opções do técnico português e, apesar de um pedido de desculpas públicas, acabou por não mais ser utilizado depois do jogo de estreia perante a Costa do Marfim, levantando suspeitas de mau ambiente no balneário das "quinas".

A inesperada dispensa de Nani, devido a uma lesão já contraída em Portugal, mas que mesmo assim não impediu o jogador que viajar para a África do Sul, e o estilo demasiado defensivo de Queiroz marcou também a participação da selecção nacional no Mundial 2010.

Apesar de algumas vozes de protesto, a FPF acabou por apoiar a actuação de Carlos Queiroz, por ter "alcançado os objectivos mínimos" na África do Sul e deu um voto de confiança ao seleccionador para a campanha de qualificação para o Euro2012.

No final de Julho, a pouco mais de um mês de Portugal iniciar a fase de apuramento foi conhecido que Queiroz poderia ser suspenso por dois anos devido a insultos a três elementos da Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), em Maio, durante o estágio de preparação para o Mundial, na Covilhã.

Inicialmente, o técnico foi suspenso por um mês pela Conselho de Disciplina da FPF, mas a ADoP avocou o processo e suspendeu-o por meio ano, uma pena a nível mundial, por perturbação da acção dos seus elementos, que afasta Queiroz dos primeiros quatro jogos de apuramento para o Euro2012.

O seleccionador, que invocou sempre inocência nos acontecimentos da Covilhã, viu ainda ser instaurado novo processo disciplinar, desta vez por declarações sobre o vice-presidente da FPF Amândio de Carvalho.

- Cronologia:
19/03/2010 -- O Governo suspende o estatuto de utilidade pública à Federação Portuguesa de Futebol, por o organismo não ter ainda adequado os estatutos ao Regime Jurídico das Federações Desportivas.
16/05/2010 - O seleccionador nacional, Carlos Queiroz, profere insultos a elementos da brigada da Autoridade Antidopagem de Portugal, que se deslocou ao estágio da selecção, na Covilhã.
08/06/2010 - O extremo Nani é dispensado da selecção nacional, já em solo sul-africano, devido a uma lesão na clavícula esquerda e falha o Mundial2010, sendo rendido pelo médio Ruben Amorim.
15/06/2010 -- Deco critica a táctica e opções de Carlos Queiroz após o nulo frente à Costa do Marfim, no primeiro encontro no Mundial2010.
29/06/2010 -- Portugal é eliminado pela Espanha nos oitavos-de-final do Mundial2010 e o capitão de equipa, Cristiano Ronaldo, mostra-se desagradado com o seleccionador nacional. Deco anuncia despedida da selecção e deixa no "ar" que o mau ambiente entre jogadores e Carlos Queiroz durante a competição.
14/07/2010 - Direcção da Federação Portuguesa de Futebol dá um voto de confiança a Carlos Queiroz.
23/07/2010 -- O Instituto do Desporto de Portugal (IDP) envia à Federação Portuguesa de Futebol o inquérito relativo ao comportamento de Carlos Queiroz perante médicos da Autoridade Antidopagem de Portugal.
30/07/2010 - O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol instaura processo disciplinar a Carlos Queiroz.
19/08/2010 - O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol aplica a Carlos Queiroz a pena de um mês de suspensão. No mesmo dia, instaura um inquérito disciplinar ao seleccionador por declarações públicas sobre vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol Amândio de Carvalho.
24/08/2010 - A Autoridade Antidopagem de Portugal delibera a avocação da decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol sobre a acusação a Carlos Queiroz de perturbação do controlo antidoping.
30/08/2010 - A Autoridade Antidopagem de Portugal suspende Carlos Queiroz por seis meses.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.