Um golo de Umtiti bastou para a França derrotar a Bélgica e apurar-se para a final do Mundial2018. É a segunda final seguida dos gauleses em grandes torneios, precisamente dois anos depois de terem perdido a final do Euro 2016 em casa para Portugal. A grande geração do futebol belga falha assim a segunda hipótese de conquistar uma grande prova.

Campeã em 1998, no 'seu' Mundial, e finalista em 2006, a França procurava alcançar a final pela terceira vez, e a segunda consecutiva em grandes competições, exatamente dois anos depois de ter deixado escapar o título do Euro2016, em 'casa', para Portugal.

Os gauleses, primeiros no seu grupo, eliminaram a Argentina (4-3), nos oitavos de final, e o Uruguai (2-0), nos 'quartos', já os belgas deixaram pelo caminho o outro 'colosso' sul-americano, o Brasil (2-1), depois de ter tremido perante o Japão (3-2) na primeira ronda a eliminar. A melhor classificação da Bélgica em Mundiais é um 4.º lugar, alcançado em 1996 mas a melhor geração de futebolistas dos 'diabos vermelhos' ambicionava mais.

Para este encontro, Didier Deschamps apostou em Blaise Matuidi, num meio-campo a três. Do lado belga, Moussa Dembelé foi a novidade, também num meio-campo a três, com Witsel e Fellaini. Chadli, que tinha jogado a médio no jogo anterior, foi o lateral, no lugar do castigado Meunier.

Os belgas entraram melhores no jogo, com De Bruyne e Hazard a criarem desequilíbrios. Aos 16, Hazard rematou ao lado, quando tinha Lukaku em boa posição. No minuto 19 é Varena a cortar de cabeça, um remate cruzado do camisola 10 dos belgas. Depois, no minuto 22 é Hugo Lloris, com uma defesa fantástica, a negar o golo a Alderweireld .

Mas a França não se limitava a defender. Em contra-ataque os gauleses criavam perigo. A equipa de Deschamps foi, aos poucos, sacundido a pressão, subindo no terreno e colocando em campo o seu talento coletivo e individual. Giroud teve, aos 35, o golo no pé após boa assistência de Mbappé mas deu mal na bola. Cinco minutos depois, só uma defesa fantástica de Courtois evitou o golo de Pavard, num remate do lateral dentro da área, desviado com o pé pelo guarda-redes belga.

O intervalo deve ter feito bem aos gauleses, que entraram a todo o vapor. Giroud rodou sobre Kompany e disparou mas o central belga conseguiu recuperar e desviar o remate. Mas aos 51 vai haver mesmo golo da França. Canto de Griezman na direita, Umtiti ganhou ao primeiro poste e desviou, de cabeça, para o fundo das redes.

Robero Martinez nem perdeu tempo e fez entrar o avançado Dries Mertens para o lugar de Dembelé, alargando assim mais a sua frente de ataque. Mais tarde lançou Ferreira Carrasco mas retirou Fellaini do jogo, deixando os 'diabos vermelhos' com menos opções na disputa das bolas pelo ar na área contrária. Ainda lançou Michy Batshuayi para os minutos finais mas não resultou.

Antes de sair, Fellaini teve o empate na cabeças mas o seu desvio saiu ao lado. Depois foi Lloris a negar o golo a Witsel, num potente remate do ex-Benfica.

Os franceses, mais experientes, foram gerindo o jogo e tiveram oportunidades para aumentar a vantagem. Courtois foi chamado a intervir em mais que uma ocasião. Numa delas, já a terminar, negou o golo a Tolisso com uma defesa fantástica.

Esta é a segunda final seguida dos gauleses em grandes torneios, precisamente dois anos depois de terem perdido a final do Euro 2016 em casa para Portugal. A grande geração do futebol belga falha assim a segunda hipótese de conquistar uma grande prova.

A França disputará no domingo a sua terceira final em campeonatos do mundo, depois de ter vencido a competição em casa, em 1998 frente ao Brasil, e ter perdido a final de 2006 diante da Itália, numa edição disputada na Alemanha.

Na final do Mundial2018, os franceses vão defrontar o vencedor do encontro entre Croácia e Inglaterra, cuja meia-final se disputa na quarta-feira, em Moscovo (19:00 horas de Lisboa).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.