O selecionador de futebol do Chile, o argentino Juan Antonio Pizzi, afastou a possibilidade de continuar à frente da equipa, após falhar o apuramento para o Mundial2018, na Rússia.

“Há que falar e avaliar o que querem para a seleção, e com base nisso escolherem. O meu contrato termina e eu estou fora”, disse o espanhol, na sequência da derrota em casa do Brasil, que fez a equipa terminar o apuramento sul-americano no sexto lugar.

O contrato de Pizzi, antigo avançado que passou pelo FC Porto como jogador em 2000, finaliza este mês.

“Sou o máximo responsável por esta situação. Fui eu que escolhi os jogadores, os sistemas e jogo, e, por isso, assumo toda a responsabilidade que me compete”, justificou o treinador após a derrota em São Paulo.

O Chile, bicampeão na Copa América, tinha falhado pela última vez a presença num Mundial em 2006, na Alemanha, depois de também ter falhado em 2002, na Coreia do Sul e no Japão, mas em 2010 e 2016 chegou aos oitavos de final.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.