“A Ásia deve ser um mercado ao qual o Benfica deve estar muito atento, uma área geográfica de muitas oportunidades em que devemos apostar decisivamente no futuro e em que a Casa do Benfica de Macau pode servir como base estratégica dessa nossa aposta”, afirmou no jantar do Clube Militar com sócios e simpatizantes do clube em Macau.

Para Luís Filipe Vieira, o desenvolvimento que o futebol tem tido na Ásia “é impar” e esse facto “é um sinal a que ninguém pode ficar indiferente”.
“Estou certo de que saberemos acompanhar esses sinais de vitalidade e responder da melhor maneira, de forma a podermos aproveitar a dinâmica deste lado do globo para construir um Benfica ainda maior”, afirmou.

“Entre ontem e hoje, já tive oportunidade de ouvir várias propostas e vários projectos que, num futuro próximo, podem trazer com maior frequência o Benfica para o Oriente. Vamos estudar esses projectos e dar-lhes seguimento”, afirmou.

Na intervenção no jantar que se seguiu à inauguração da Casa 232 do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira salientou também que o Benfica “é muito mais do que um clube de futebol” e que as modalidades “fazem parte do código genético” do clube, pelo que a aposta neste sector é para ser “reforçada no próximo ano”.

“Mas há um aviso que é importante fazer, mesmo a esta distância de Portugal. Tal como no futebol reclamamos verdade e transparência, também nas modalidades exigimos a mesma postura e os mesmos valores”, disse, não escondendo divergências com a Federação Portuguesa de Patinagem, apesar de o Benfica ter decidido manter a sua equipa inscrita, o que vai acontecer pela “última vez se se repetirem situações que se viveram este ano”.

Já sobre o futebol deixou a garantia de trabalho e emprenho para uma equipa “competitiva, capaz de repetir o que foi feito este ano a nível interno, e capaz, igualmente, de deixar uma marca muito forte na Europa”.

Luís Filipe Vieira classificou também de “ruído próprio da época de defeso” as notícias que têm sido divulgadas sobre transferências de jogadores e garantiu que, “quando a poeira assentar”, se irá verificar que a equipa permitirá “continuar a perseguir o sucesso a nível nacional e europeu”.

Perante uma sala cheia de adeptos e simpatizantes do Benfica, Luís Filipe Vieira manifestou-se orgulhoso pela inauguração da Casa do Benfica e disse que estas sempre foram uma prioridade porque reflectem uma estratégia de crescimento sem a qual o Benfica ficaria limitado na sua expansão além fronteiras”.

“Seremos sempre mais fortes sempre mais fortes quanto maior for a nossa presença a nível internacional e seremos sempre mais fortes quanto maior for a nossa presença fora de Portugal”, e as Casas do Benfica “contribuem decisivamente para essa estratégia”, sublinhou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.