Familiares e amigos do antigo guarda-redes do Sporting e da Seleção Portuguesa Vítor Damas homenagearam este sábado o malogrado jogador, falecido em 2003 vítima de uma doença oncológica, durante um jogo de futebol que juntou antigos veteranos da equipa “leonina”.

Os antigos jogadores do Sporting Carlos Xavier, Oceano, Jorge Cadete, Marinho e Pedro Mendes, foram algumas das personalidades que marcaram presença neste jogo, disputado no estádio José Martins Vieira, na Cova da Piedade, arbitrado pelo antigo arbitro internacional Pedro Henriques.

Frente a frente uma equipa de antigos veteranos do Sporting e outra composta por uma parada de estrelas, entre as quais o cantor Olavo Bilac e o presidente do Sindicato de Jogadores, Joaquim Envagelista.

Mais do que o resultado, o importante foi a homenagem feita a Vítor Damas, que foi muito sentida por alguns familiares do antigo guarda-redes do Sporting presentes no recinto, que não contiveram a emoção durante o minuto de silêncio, brindado com salvas de palmas.

«Estou muito satisfeita por estarem a fazer isto ao meu pai porque ele, com certeza, está a ver isto lá de cima», afirmou à Agência Lusa Ana Rita, filha de Vítor Damas, que assistiu ao encontro ao lado da mãe, do irmão e dos filhos.

Também, fora de campo outras figuras do “universo” leonino como Manuel Fernandes, João Pedro Gomes e o antigo treinador galês John Toshack, que orientou o Sporting no início da década de 80, também quiseram prestar a sua homenagem a Vítor Damas, falecido em 2003, aos 55 anos.

«Guardo imensas recordações do Damas porque era um homem extraordinário e um guarda-redes de excelência. Não me esqueço que fui eu que o apelidei de ‘homem aranha’», recordou à Agência Lusa o antigo internacional português João Pedro Gomes, colega de Damas no Sporting.

Por seu lado, John Toshack, que foi treinador de Vítor Damas no Sporting, recordou o antigo “pupilo” com “um grande profissional que punha sempre os interesses dos outros à frente dos seus”.

Já Jorge Cadete, antigo ponta-de-lança do Sporting e do Benfica, que foi treinado por Vitor Damas no Sporting, no final da década de 80, referiu que «guarda muitas saudades e carinho» porque foi o primeiro treinador que o colocou a jogar a avançado.

«Foi a primeira pessoa a passar-me a mística do Sporting. Tenho uma grande mágoa por nunca ter sido homenageado em vida», apontou.

Esse facto foi também realçado pelo presidente do Sindicato de Jogadores, Joaquim Envangelista, que lamentou o facto de muitos clubes se esquecerem das “antigas glórias”, nomeadamente o Sporting.

«Acho que era obrigação do Sporting, à semelhança do que o Benfica fez com o Eusébio, proporcionar um evento de outra natureza. Acho que tanto os clubes como a liga deviam ter um calendário próprio para estas iniciativas», defendeu.

Histórico em Alvalade, Vítor Manuel Afonso Damas de Oliveira, que nasceu a 08 de Outubro de 1947, em Lisboa, deixou também a sua marca nas seleções nacionais, somando 29 internacionalizações na equipa A, duas nas esperanças e 10 nos juniores.

Com mais de mil  jogos na sua conta pessoal, Vítor Damas retirou-se do futebol 22 dias depois de ter completado 41 anos, terminando uma longa carreira, que se iniciou aos 13 anos no seu clube do coração, o Sporting.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.