O último reforço dos encarnados, por empréstimo do Atlético de Madrid, explicou a sua opção, em vestir a camisola do Benfica, depois do assédio dos Dragões.

“Escolhi o Benfica pelo projecto que me apresentaram e por ter jogadores argentinos de renome. Além disso, é o maior clube de Portugal, é o actual campeão e participa na Champions, o que me permite ser visto por mais gente. Não me arrependo, de forma alguma. Valeu a pena a escolha e estou muito feliz”, explicou.

Na hora da decisão aconselhou-se junto de “Simão, Tiago e Quique Flores”, acrescentou.

O jovem argentino de 20 anos ainda não se impôs no onze inicial de Jorge Jesus mas mostra-se tranquilo com a situação.

“No primeiro jogo tive a infelicidade de sair cedo pela expulsão do Júlio César [contra o Vitória de Setúbal, na Luz]. Depois tive o azar da lesão, mas aos poucos estou a recuperar o ritmo e poderei jogar ao meu nível e tentar ganhar um lugar. Para quando o verdadeiro Salvio? Estou a trabalhar para que seja o mais rápido possível. Sou um jogador que quer ganhar sempre e que gosta de trabalhar para a equipa”, explicou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.