Em novo comunicado publicado no seu sítio na internet, a SAD socorre-se de fotografias de imagens da RTP - "a força das imagens prevalece e permite desenhar e comprovar aquilo que, de facto, se passou" - para combater "as tentativas de intoxicação da opinião pública, com escritos e ditos incongruentes".

"Como pode constatar-se pelas imagens, o veículo do FC Porto arrancou de forma contida e iniciou de imediato um demorado processo de travagem, prolongado até à curva à direita, uma vez que surgiram vários fotógrafos de entre os carros estacionados", diz o comunicado.

No ponto seguinte, o terceiro de seis, o FC Porto "estranha que o Sindicato de Jornalistas fale em 'marcha acelerada' e aqueles que se referem a 'atropelo', quando são precisamente os seus profissionais que atropelam o civismo das regras de trânsito, lançando-se precipitadamente para a via pública".

Os "dragões" referem depois que "a queda de alguém na retaguarda da viatura do FC Porto verifica-se em posição imperceptível para os seus ocupantes" e que "o agente da autoridade que aparece nas imagens está sempre posicionado por trás da viatura".

"Portanto, se emitiu qualquer sinalética (não é visível em momento algum), jamais esta podia ter sido percepcionada pelos ocupantes do automóvel", esclarecem.

Num último ponto, os portistas dizem que "é falso que a pessoa pretensamente atingida tenha ficado caída na rua, uma vez que se levantou de pronto e correu rua abaixo, praticamente à mesma velocidade do veículo".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.