O sócio do Sporting Zeferino Boal afirmou hoje à Agência Lusa que está a efectuar contactos para analisar uma possível candidatura à presidência do clube, referindo que «não é uma decisão para se tomar de ânimo leve».

«Estou a fazer contactos durante esta semana, mas não fecho a porta a essa possibilidade. Vou ter uma reunião mais alargada esta semana, é uma responsabilidade grande e não é de ânimo leve que se decide. Felicito os órgãos sociais pois deram tempo para que todos tenham tempo para pensar e apresentar o seu projecto», disse Zeferino Boal, em declarações à Lusa.

O consultor, de 48 anos, referiu que em todos os actos eleitorais existem características que têm que vir da pessoa, como a motivação e as ideias, mas também é necessário reunir algumas condições externas.

Em relação à actual situação do clube, Zeferino Boal notou que deixou de se investir no «produto que é o futebol» e frisou ser necessária uma política desportiva.

«Uma indústria tem um bom produto no mercado, mas de desinvestir no produto, a prazo, essa indústria sofre as consequências e no futebol é semelhante. Primeiro tem que haver uma política desportiva e depois é que se deve procurar os investimentos, pois na situação actual o passivo é superior aos activos», defendeu.

Zeferino Boal sustentou que não se deve avançar para a construção de um pavilhão, a médio prazo, salientando que o investimento deverá ser feito em modalidades de alto rendimento com a marca Sporting em vários locais do país.

«Lá mais para a frente é que se deve pensar no pavilhão, agora não há condições», disse.

Quanto à decisão de José Eduardo Bettencourt se demitir, anunciada sábado após a derrota do Sporting em casa frente ao Paços de Ferreira (3-2), o sócio nº 9443, que já foi dirigente do Sporting, considerou que a decisão foi «irresponsável e extemporânea».

«A decisão do sportinguista, pois não falo como pessoa, foi emocional e não fazia sentido numa altura em que decorre o processo de negociação com a banca e após um jogo. O que me surpreendeu foi o timing», salientou.

Em relação ao técnico Paulo Sérgio, que já garantiu que não se ia demitir, Zeferino Boal disse compreender a situação.

«Compreendo a situação de Paulo Sérgio. Quando José Eduardo Bettencourt foi eleito afirmou Paulo Bento Forever, acho que se colou muito a Paulo Bento. Percebo que o Paulo Sérgio não tenha a mesma solidariedade com ele», rematou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.