O presidente da SAD do Boavista disse hoje que a equipa tem sido "claramente" prejudicada por algumas arbitragens e que tudo fará para melhorar o plantel e fazer uma segunda volta da I Liga de futebol “de absoluta recuperação".

Álvaro Braga Júnior surpreendeu e apresentou-se hoje perante a comunicação social para "dar uma palavra em nome de toda a SAD", tendo sido, por esse motivo, adiada para terça-feira a antevisão do técnico Erwin Sanchez do jogo com o FC Porto, já esta quarta-feira, para os quartos de final da Taça de Portugal, no Estádio do Bessa.

O dirigente reafirmou que o Boavista debate-se com "algumas limitações de ordem financeira" por que está a cumprir os seus compromissos com os credores, o que, notou, obriga a ter cuidados especiais com as escolhas de reforços para o plantel.

"Já contratamos dois jogadores, Imanol Iriberri [avançado argentino] e Ruben Ribeiro [médio]", recordou, salientando que, "pelos regulamentos, apenas podem ser feitas cinco substituições" este mês.

Braga Júnior também falou de arbitragens e referiu que no domingo, no Bessa, na partida com o FC Porto, que os ‘dragões’ venceram por 0-5, houve "duas grandes penalidades, que o árbitro não marcou, contra o FC Porto, um golo mal anulado a Uchebo" e um cartão amarelo a Casillas que devia ter sido vermelho.

"Se isto tudo tivesse acontecido, se calhar hoje a comunicação social estaria falar num grade jogo de futebol que, sem por em causa a justiça da vitória do FC Porto, poderia ter terminado 3-5", considerou.

O dirigente realçou ainda que o embate com o FC Porto foi "atípico" porque o Boavista teve de fazer três substituições devido às lesões de Tengarrinha, Henrique e Anderson Correia e jogou os últimos 20 minutos, período em que sofreu três golos, com dez elementos.

Braga Júnior insistiu que o Boavista tem sido "claramente" prejudicado por algumas equipas de arbitragem e afirmou ter "a noção" das dificuldades, com o Boavista no 17.º lugar com dez pontos, menos seis do que o 16.º classificado, a Académica

"Seria quase pateta não o reconhecer, mas estamos convencidos de que podemos fazer uma segunda volta que reafirme aquilo que é a nossa intenção, que é um o Boavista de primeira divisão", afirmou.

Erwin Sanchez referiu, no final da derrota com os ‘dragões’, que havia preparado esse jogo em relvados sintéticos, o que não era fácil, tendo Braga Júnior respondido que o Boavista as condições "possíveis".

Os ‘axadrezados’ têm contado com o "apoio da Câmara da Maia e com a boa vontade do Leça" para poder treinar em relvados de relva natural, "mas com a chuva que caiu nos últimos dias era impossível" recorrer a esses pisos e a equipa teve de se preparar em sintéticos.