Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, sustentou que o clima de violência que tem pautado o futebol não é repudiado apenas pelos 'leões', mas por todos os clubes.

"Não podemos generalizar. Tenho muitos amigos que são do Benfica e do FC Porto. As instituições não têm culpas de certos atos. Não podemos esquecer o que aconteceu, mas também não podemos generalizar", disse Bruno de Carvalho, referindo-se à morte de um adepto dos 'leões' em 1996, na final da Taça de Portugal, vítima de um very-light, bem como ao adepto atropelado mortalmente na véspera do dérbi com o Benfica.

"99 por cento dos sportinguistas, dos benfiquistas, dos portistas e dos restantes clubes não querem que isto aconteça, senão caíamos numa situação da qual depois não sabemos sair. Temos de saber onde está o problema, tirar lições, mas jamais generalizar. Quero que estas mortes acabem", referiu.