O Jornal de Angola afirma hoje, em editorial, que em Portugal há quem passe "rapidamente das palavras aos atos", referindo-se à visita do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, e à parceria firmada para formação de futebolistas angolanos.

Num editorial intitulado "O fruto dos bons afetos", totalmente dedicado à visita da comitiva portista e à parceria que hoje será oficializada em Luanda entre a direções do FC Porto e da Academia de Futebol de Angola (AFA), o diário estatal advoga que "um dia, de Portugal só vão chegar bons ventos e a amizade contagiante e afetuosa que a embaixada dos ‘Dragões' agora nos trouxe".

"Este acontecimento mostra que em Portugal há quem passe rapidamente das palavras aos atos. Nem todos se ficam pelas boas intenções, por reuniões fastidiosas e promessas que saem da boca para fora e morrem logo a seguir nas gavetas de um qualquer ministério do Terreiro do Paço", lê-se no mesmo texto.

Trata-se, no espaço de cinco dias, do terceiro editorial do Jornal de Angola dedicado às relações do país com Portugal, depois de duras críticas nos dois anteriores, nomeadamente a propósito de conotações de angolanos com o caso dos vistos "gold" portugueses.

Ainda sobre a visita da comitiva portista, o Jornal de Angola recorda que Portugal "tem ‘know-how', investigação e quadros especializados que podem suprir de uma forma eficaz e célere" as "carências mais gritantes" de Angola.

"Nós temos matérias-primas estratégicas que fazem muita falta ao desenvolvimento da economia portuguesa", observa o editorial, recordando, por outro lado, que "a dimensão afetiva [entre os dois países] é ainda mais importante" e aludindo à importância que vários clubes de futebol portugueses têm em Angola.

"A embaixada desportiva dos ‘dragões' trouxe consigo e pela voz do presidente Jorge Nuno Pinto da Costa o Portugal afetuoso, amigo e solidário que os angolanos gostavam de ver a todos os níveis e muito especialmente ao nível do poder político cujos atores se esforçam (e conseguem) para ensombrar as nossas relações fraternas, que todos queremos ver mais estreitas e fortes", refere o jornal.

Na sexta-feira, no segundo dia de visita a Angola, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, mostrou-se sensibilizado com o conhecimento que o Presidente angolano tem sobre o clube português.

O líder portista falava aos jornalistas depois de ter sido recebido, em audiência realizada no palácio presidencial, por José Eduardo dos Santos, no âmbito da visita da comitiva portuguesa a Luanda.

Esta presença envolve a oficialização de um protocolo de colaboração com a AFA, cujo patrono é precisamente o Presidente angolano.

No regresso a Luanda ao fim de uma década, e depois de na quinta-feira ter já afirmado que "tantas vezes" Portugal "não sabe estar presente em Angola", o presidente do FC Porto mostrou-se surpreendido com o desenvolvimento que encontrou.

"Fiquei pasmado [com o desenvolvimento de Angola]. Sabia que estava em progresso, não vinha cá já há 14 anos e é outra cidade [Luanda]. É totalmente diferente, vi gruas, que é uma coisa que não se vê em Portugal, sinal de crescimento permanente", afirmou.

No dia anterior, no arranque desta visita a Luanda - amplamente divulgada pelos órgãos de comunicação social públicos angolanos -, Pinto da Costa tinha já observado que, em Angola, o FC Porto "é mais apreciado e amado do que em muitos sítios de Portugal".

A fechar a visita da comitiva portista disputam-se hoje dois jogos, entre equipas de sub-15 e sub-11, da academia da AFA e do FC Porto, no âmbito do protocolo acordado, prevendo-se a presença do Presidente José Eduardo dos Santos.