O governo lamentou hoje a morte do antigo árbitro Paulo Paraty, enaltecendo o seu contributo para “elevar a qualidade” da arbitragem nacional.

“O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, lamentam a morte de Paulo Paraty, antigo árbitro internacional português. Engenheiro eletrónico de formação, foi como árbitro que este portuense se destacou além-fronteiras, sendo reconhecido hoje como ‘uma velha glória da arbitragem´”, pode ler-se em comunicado.

Lembrando que Paulo Paraty ostentou as insígnias da FIFA entre 1996 e 2007 e apitou centenas de jogos na I Liga portuguesa, o executivo elogiou os méritos do antigo árbitro que “elevaram ainda mais a qualidade da arbitragem nacional”.

Paraty, hoje falecido no Porto, vítima de doença, foi árbitro de futebol durante 27 anos, chegando a ostentar as insígnias de internacional da FIFA.

Joaquim Paulo Gomes Paraty da Silva, portuense, tinha 53 anos e iniciou a sua atividade na arbitragem em 1981/82, sendo promovido à 1.ª categoria 10 épocas depois (1991/92), estreando-se no escalão principal para dirigir o Famalicão-Feirense, que a equipa da casa venceu por 1-0.

Ao todo, foram 17 épocas e 218 jogos arbitrados na primeira divisão, aos quais juntou 20 na Taça de Portugal, 40 no escalão secundário, dois na fase de qualificação do Europeu, um na mesma fase de um campeonato do Mundo e outro na Liga dos Campeões.