William Carvalho pretende avançar com uma queixa-crime, por difamação, contra Bruno de Carvalho. O médio internacional português foi um dos nove jogadores que rescindiram contrato, no final da época passada, na sequência do ataque à Academia de Alcochete

Em causa desta decisão estão as declarações de Bruno de Carvalho, depois do antigo presidente do Sporting ter dito em tribunal, no âmbito do processo à invasão de Alcochete, que os dois jogadores participaram nos almoços e jantares com elementos da claque Juve Leo.

"O Rui Patrício e o William queriam sair. Tinham almoços e jantares regulares com a Juve Leo. Portanto, não eram santos e uma vez o Jesus quis ir jantar com a Juve Leo. Tirando a festa de Natal ou de aniversário, nunca fui jantar com claque nenhuma. A única vez que entraram na Academia foi o Jesus que deixou. Eu não deixei e disse ao Jesus que ele não mandava nada", acusou Bruno de Carvalho.

O jogador, agora ao serviço do Betis de Sevilha, garante que nunca participou nesses encontros com os elementos da claque leonina. De acordo com o jornal A Bola desta quinta-feira, a decisão de processar o antigo presidente ainda não está tomada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.