O Kremlin negou hoje que a Rússia ou os seus serviços secretos tenham realizado ciberataques contra os Jogos Olímpicos, após as acusações do Reino Unido e dos Estados Unidos da América.

“Nem a Federação Russa nem os serviços especiais russos realizaram qualquer ataque cibernético, especialmente contra os Jogos Olímpicos”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, no decorrer de uma conferência de imprensa.

O secretário de imprensa do presidente Vladimir Putin afirmou que a Rússia ou os serviços especiais russos estão sempre a ser acusados “de tudo e por todos” e atribuiu esta última acusação a uma “russofobia frenética”.

As autoridades britânicas acusaram na segunda-feira os serviços de inteligência militar da Rússia (GRU) de terem realizado ciberataques contra os organizadores dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio2020, bem como dos Jogos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul, em 2018.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 e os Jogos Paralímpicos Tóquio2020 deveriam ter sido realizados no verão, no Japão, mas devido à pandemia de covid-19 foram adiados para o próximo ano.

Por sua vez, o Departamento de Justiça dos EUA indiciou formalmente seis agentes de inteligência russos no mesmo dia por vários ciberataques globais, incluindo durante as eleições presidenciais em França, em 2017, e os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, na Coreia do Sul.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.