Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio reafirmaram hoje que estes deverão realizar-se no verão de 2021, afastando um novo adiamento, apesar da declaração do estado de emergência no país.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, declarou um novo estado de emergência em Tóquio e na área metropolitana durante um mês, perante o aumento de novas infeções diárias devido ao novo coronavírus.

"A declaração do estado de emergência oferece uma oportunidade para controlar a situação da covid-19", tornando os jogos "mais seguros", disse a organização, em comunicado.

Agendados inicialmente para 2020, os Jogos Olímpicos de Tóquio foram os primeiros da história a ser adiados em tempo de paz, e um novo adiamento já tinha sido excluído pelos organizadores e responsáveis japoneses.

Suga disse que o país se comprometeu a organizar Jogos Olímpicos seguros, afirmando estar convencido que o público japonês, largamente contrário à realização do evento, mudará de opinião com o início da campanha de vacinação, que deverá arrancar no final de fevereiro.

Um membro do Comité olímpico internacional, Dick Pound, citado na quinta-feira pela cadeia de informação britBBC, levantou dúvidas sobre a realização dos jogos na data prevista, por causa das novas vagas de infeções.

Uma sondagem divulgada em dezembro pela cadeia de televisão pública nipónica NHK indicou que apenas 27% dos japoneses apoiam a realização dos Jogos Olímpicos no próximo verão, sendo 32% favoráveis à anulação e 31% a um novo adiamento.

Outras sondagens de opinião confirmaram as reticências do público japonês. Em 14 de dezembro, a agência de notícias Jiji difundiu uma sondagem, na qual 21% dos entrevistados defenderam uma anulação e cerca de 30% um novo adiamento.

Numa sondagem idêntica, publicada em 06 de dezembro pela agência de notícias japonesa Kyodo, 61,2% opunham-se à realização de Tóquio2020 em 2021.

O recente lançamento de campanhas de vacinação em diferentes regiões do mundo veio reforçar a confiança dos organizadores na possibilidade de realizar os Jogos Olímpicos, mesmo se a inoculação não for obrigatória para atletas ou espetadores.

No entanto e ao mesmo tempo que as primeiras vacinas começam a ser distribuídas, novas vagas de infeções estão a surgir em vários países, incluindo no Japão, que decretou um novo estado de emergência em Tóquio e subúrbios, em vigor desde quinta-feira.

Os Jogos Olímpicos vão decorrer entre 23 de julho e 08 de agosto e os Paralímpicos entre 24 de agosto e 05 de setembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.