O surfista português Frederico Morais mostrou-se hoje “muito orgulhoso” por ter conquistado nos Mundiais de surf, em Miyazaki, no Japão, um lugar nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, onde a modalidade se vai estrear na competição.

“É um dia muito especial. Ter conseguido esta vaga para Portugal deixa-me muito orgulhoso, não há muitas palavras. Ainda não digeri bem porque achava que hoje ainda havia mais campeonato e estou focado na prova, mas agora que deram ‘off’ já vai dar para celebrar um bocadinho este feito com a seleção e com a família, pelo telemóvel”, disse ‘Kikas’, de 27 anos.

Frederico Morais assegurou a vaga ao garantir que vai sair da prova japonesa como o melhor europeu, já que é o único representante do ‘velho continente’ ainda em prova.

“Ser o primeiro português a conseguir apuramento para os Jogos Olímpicos sabe muito bem. Só há muito pouco tempo é que comecei a sonhar. Quando se começou a falar disto e começou a ser mais palpável, defini isso como objetivo para mim, ser um atleta olímpico e levar Portugal e o surf português ao mais alto nível, dar a conhecê-lo ao Mundo inteiro”, explicou à sua assessoria.

O facto de o apuramento ter sido conseguido após grandes ‘batalhas’ aumentam a satisfação: “Conseguir isto depois de uma semana de ‘heats’ difíceis, frente aos melhores surfistas do Mundo... conseguir uma vaga para Portugal é um orgulho e o culminar de um grande dia”.

Frederico Morais, que perdeu na sexta ronda e foi relegado para as repescagens, beneficiou da eliminação do alemão Leon Glatzer, do espanhol Vicente Romero e do italiano Angelo Bonomielli, que eram os outros europeus ainda em competição.

Na jornada de hoje, e depois de na véspera ter ultrapassado as rondas três, quatro e cinco, o português foi afastado na sexta, ao ser terceiro, com 12,83 pontos, atrás dos norte-americanos Kolohe Andino, número 3 mundial, com 14,00, e Kelly Slater, que havia batido na quarta, com 15,66.

Ainda assim, continua na corrida pelo título mundial, já que foi relegado para a 10.ª ronda das repescagens, na qual vai defrontar, no domingo, o indonésio Rio Waida e o japonês Shun Murakami, que lutam pela vaga asiática em Tóquio2020.

“Continuando em prova, agora nas repescagens, tenho o mesmo objetivo: sonhar alto, mas ‘heat’ a ‘heat’. Vou concentrar-me em apanhar as melhores ondas e, se Deus quiser, continuar até à final”, garantiu Frederico Morais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.