Uma segunda série de reanálises a amostras recolhidas nos Jogos Olímpicos de Pequim2008 e Londres2012 revelaram a presença de substâncias proibidas em 45 casos, revelou hoje o Comité Olímpico Internacional (COI).

Esses 45 casos, de 30 atletas em Pequim e 15 em Londres, juntam-se a 53 casos detetados na primeira série de reanálises. O COI indica ainda que estão previstas uma terceira e quarta série a efetuar durante e após os Jogos Olímpicos Rio2016. Esta nova ‘triagem’ eleva para 98 o número de atletas que acusaram positivo nas duas últimas edições dos Jogos.

O sistema consiste em usar os mais sofisticados métodos científicos de análise na reanálise de amostras guardadas em Pequim2008 e Londres2012, seguindo um processo de recolha de informação iniciada em agosto de 2015. “As novas reanálises mostram uma vez mais o compromisso do COI na luta contra o doping”, referiu o presidente do organismo, Thomas Bach, em comunicado na página oficial do COI.

A nota explica ainda que a segunda série de reanálises centrou-se essencialmente em atletas medalhados, com 23 deles dos que revelaram substâncias em Pequim2008 a terem subido ao pódio dos Jogos na capital chinesa.

Os 30 pertenciam a quatro modalidades de oito comités olímpicos nacionais. Dos 15 detetados em Londres2012, pertenciam a dois desportos e envolvem nove comités olímpicos. As duas edições têm em reanálise 1.243 amostras, a serem ‘escrutinadas’ em duas séries. Ainda de acordo com o COI, os atletas, comités nacionais e federações envolvidas foram informadas, situação após a qual os procedimentos contra os mesmos poderão começar.

“Todos os atletas que se descubra que infringiram as regras antidoping serão proibidos de competir nos Jogos Olímpicos Rio2016”, refere a nota.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.