A organização dos Jogos Olímpicos do Rio2016 dedicará um espaço na vila olímpica para assinalar o bombardeio atómico a Hiroshima, que a 06 de agosto, um dia depois do início dos Jogos, cumpre 71 anos.

O responsável daquela cidade japonesa, Kazumi Matsui, revelou hoje que o Comité Olímpico Internacional (COI) lhe endereçou uma carta em meados de junho, na qual o informava em relação a esta iniciativa.

Na carta, o COI expressou igualmente que fará os preparativos necessários para que os participantes na cerimónia de abertura possam partilhar as suas opiniões em relação ao bombardeamento nuclear.

Matsui solicitou ao COI que se fizesse um minuto de silêncio na cerimónia abertura em homenagem às vítimas.

A iniciativa, proposta pelo diretor criativo do evento, Fernando Meirelles, foi recusada pela organização, por esta considerar que poderia ser interpretada como uma crítica aos Estados Unidos, país que lançou as bombas sobre Hiroshima e Nagasaki.

“Mesmo assim quero que se mantenha um minuto de silêncio, para rezar por um mundo sem armas nucleares”, disse Matsui à agência de notícias Kyodo.

A bomba lançada sobre Hiroshima em agosto de 1945 resultou na morte imediata de cerca de 80.000 pessoas, um número que subiria no final de 1945 para 140.000 e nos anos posteriores, face aos efeitos da radiação.

Três dias após a primeira bomba, foi lançada uma outra sobre Nagasaki, a 09 de agosto, o que levou o governo do Japão a uma rendição incondicional e ao fim da II Guerra Mundial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.