O Ministro da Justiça do Brasil, Alexandre de Moraes, afirmou esta quarta-feira que a criminalidade preocupa mais o Brasil do que o terrorismo, em termos de ameaça à segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

"A criminalidade preocupa mais que o terrorismo, por isso estamos reforçando o policiamento. Teremos um número maior de delegações, de turistas de todos os países. Não podemos deixar que se passe imagem de criminalidade no Brasil", disse.

A declaração, feita ao jornal Folha de S.Paulo, aconteceu após o governo francês reconhecer que a informação de que terroristas planeavam um atentado contra a delegação da França não se confirmou.

O ministro considerou a divulgação do suposto atentado como precipitada e voltou a frisar que a informação é falsa.

Questionado sobre a possibilidade de atentados, disse ao jornal que este tipo de ataque no país pode acontecer, mas o alerta está num nível baixo.

"Existe possibilidade? Existe no mundo inteiro, não seria no Brasil que não existiria. A probabilidade é mínima, mas, havendo possibilidade, estamos tomando todos os cuidados e realizando todas as medidas de combate ao terrorismo", afirmou.

Falando sobre ataques dos chamados "lobos solitários" (pessoas que planeiam e executam ataques sozinhas) o ministro da Justiça foi irônico ao dizer que ele prefere chamar estes indivíduos de "ratos solitários" e que "seria mais provável [haver investidas isoladas], embora a chance esteja próxima de zero".

"O monitoramento aos 'ratos solitários' também existe. Qualquer coisa que pareça suspeito, mesmo algo tosco, estamos de olho", completou.

A Olimpíada acontece de 05 a 21 de agosto na cidade do Rio de Janeiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.