A polícia realiza hoje uma operação contra uma milícia que estaria a controlar as atividades de milhares de agentes da Força Nacional enviados para o Rio de Janeiro para trabalharem na segurança durante os Jogos Olímpicos.

A operação está a cargo da Delegacia de Repressão às Ações do Crime Organizado e Inquéritos Especiais, que já vinha fazendo operações rotineiras na região oeste do Rio de Janeiro.

"Através de um trabalho realizado com a Divisão de Homicídios, identificámos os integrantes dessa milícia. Inclusivé vários deles já têm mandados de prisão decretados, mas precisamos que a população colabore com informações que nos ajudem a localizá-los", disse o delegado Alexandre Herdy, citado pelo diário Globo.

Segundo o jornal Extra, 3.500 agentes que vieram de vários estados do Brasil para realizar a segurança dos Jogos Olímpicos estavam a ser obrigados a submeter-se às ordens dos milicianos.

Os agentes foram impedidos de circular armados ou com a sua identidade policial na região, e também não puderam instalar internet nos apartamentos onde estão alojados, porque a milícia explora o sinal a cabo na região.

Na terça-feira, os agentes em causa fizeram um panelaço (barulho com panelas em forma de protesto) contra as condições que lhes foram oferecidas no Rio de Janeiro, como apartamentos sem camas e chuveiros e com cortes de água frequentes, e atrasos nos pagamentos das diárias acordados.

Numa reunião organizada nesse dia, os agentes pediram uma solução até sexta-feira, ameaçando pedir baixa e regressar aos seus Estados se tal não acontecer.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.