Rui Jorge não tem dúvidas de que é um orgulho ser o treinador de Portugal nos Jogos Olímpicos de 2016. Na apresentação dos convocados para o torneio no Brasil, o selecionador português garantiu que se muito orgulhos e admitiu que tem pena de todos os jogadores que ficaram de fora das opções.

"É um orgulho enquanto treinador participar numa edição dos Jogos Olímpicos. Seria um orgulho grande pelo que senti e pelo que trabalhei, mas também seria para os meus jogadores. Eles procuraram o apuramento, esforçaram-se e conseguiram. O meu desejo é de que, quem vai chegar agora, sinta esse orgulho e defenda o legado olímpico que eles deixaram”, sublinhou o técnico, a respeito dos jogadores que não foram autorizados pelos clubes a irem aos Jogos Olímpicos.

Sem dar certezas de até onde pode chegar no Rio2016, Rui Jorge realçou que, sem ter conhecimento das outras equipas, não é possível fazer previsões, atribuir favoritismos e falar em objetivos.

"Seria irreal dizer objetivos sem saber o que há do outro lado. Este é o nosso trabalho, a nossa profissão. Vamos fazer por conhecer os nossos adversários, mas nestas condições os jogos não se preparam, jogam-se. As outras equipas têm problemas semelhantes", comentou.

Sobre o próximo jogador a ser chamado para completar os 18, Rui Jorge sublinhou que será um defesa: "Será um jogador para a linha defensiva. Lateral ou central".

Rui Jorge vai disputar os seus primeiros Jogos Olímpicos por Portugal. Ao contrário de Fernando Santos, foi mais comedido nas promessas e promete passagem da fase de grupos como objetivo mínimo.

"Já avisei a família que não volto antes de 11 de agosto, que é o final da fase de grupos", atirou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.