A atleta russa Yuliya Stepanova, que denunciou o esquema generalizado de doping na Rússia com apoio estatal, foi hoje proibida de participar nos Jogos Olímpicos Rio2016, pelo Comité Olímpico Internacional (COI), devido ao controlo positivo de 2013.

Stepanova, especialista nos 800 metros, tinha sido autorizada a disputar provas internacionais pela Associação de Federações Internacionais de Atletismo (IAAF), sob bandeira neutra, graças à sua a contribuição “na proteção e promoção dos atletas, do jogo limpo e da integridade e autenticidade do atletismo”.

No entanto, o COI decidiu hoje entregar às federações de modalidades a decisão de aceitar ou excluir atletas russos do Rio2016, mediante critérios rígidos, entre os quais a inexistência de qualquer controlo positivo na carreira.

Em 2013, Stepanova, que atualmente vive nos Estados Unidos, foi suspensa por dois anos, devido a irregularidades no seu passaporte biológico.

“No entanto, a comissão executiva do COI gostaria de expressar o seu agradecimento pela contribuição de Stepanova na luta contra o doping e pela integridade do desporto”, lê-se no comunicado do organismo, após a reunião de emergência que analisou a presença russa no Rio2016.

Stepanova e o marido, Vitaly Stepanov, ex-funcionário da Agência Russa Antidopagem, denunciaram, num programa televisivo, a utilização sistemática de produtos proibidos no atletismo russo, que levaram a uma investigação da Agência Mundial Antidopagem (AMA), que encontrou provas de doping apoiado pelo estado e corrupção generalizada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.