O Comité Olímpico Internacional (COI) vai "ajudar" as federações desportivas e comités nacionais afetados a nível financeiro pelo adiamento de Tóquio2020 devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje o responsável pela Comissão de Coordenação do organismo, John Coates.

"Não vamos ficar a olhar para como colapsam federações internacionais ou comités nacionais. Vamos ajudar", explicou Coates, em videoconferência, no final de uma reunião da comissão que encabeça.

O australiano foi questionado na sequência de uma entrevista do presidente do COI, Thomas Bach, que tinha assumido que o organismo podia comportar parte dos custos do adiamento, após várias federações assumirem a situação financeira "muito grave" que atravessam.

Coates referiu também ter "boa fé" na possibilidade de realizar os Jogos Olímpicos no verão de 2021, como está previsto, e que a opção de adiar permitiu colocar "o maior tempo possível" entre a prova e a pandemia de covid-19.

Quanto à logística do evento, o objetivo é "respeitar dentro dos possíveis o que é existente" no que toca a acordos de todo o tipo, reduzindo "ao mínimo possível o impacto na qualidade da competição".

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 estão marcados para decorrer na capital japonesa de 23 de julho a 08 de agosto de 2021, um ano depois do que era previsto, com os Jogos Paralímpicos marcados para de 24 de agosto a 05 de setembro.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 133 mil mortos e infetou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 436 mil doentes foram considerados curados.

Portugal regista 599 mortos associados à covid-19 em 18.091 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia, divulgado na quarta-feira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.