A diplomacia russa classificou hoje como “desleal” a recomendação de um comité independente da Agência Mundial Antidopagem (AMA) de suspender o país de competições internacionais por quatro anos, considerando-a “uma guerra” para eliminar um concorrente.

“Há uma politização nesta questão de excluir a Rússia, é o que se chama concorrência desleal. É uma luta sem regras”, disse Maria Zakharova, porta-voz da diplomacia russa.

Maria Zakharova considerou que “existe, há anos, um lóbi para excluir a Rússia da cena desportiva internacional”, denunciando uma conspiração “envolvendo o setor mundial da informação”.

Na segunda-feira, um comité independente da AMA recomendou a suspensão da Rússia de competições internacionais por um período de quatro anos, o que obrigaria os atletas a competirem sob bandeira neutra nos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

O painel de revisão da AMA defende que a Rússia seja impedida de organizar grandes eventos nos próximos quatro anos e que a bandeira do país não possa ser hasteada em provas internacionais durante o mesmo período.

As recomendações serão analisadas pelo comité executivo da AMA, que se irá reunir em 09 de dezembro.

O Kremlin já se disse pronto a “cooperar plenamente” com a agência e com a comunidade desportiva internacional.

Em junho, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), agora denominada World Athletics, manteve a suspensão à Rússia, que está impedida de participar em provas internacionais desde novembro de 2015, na sequência do escândalo de doping e corrupção, com conhecimento e apoio estatal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.