João Sousa, de 32 anos, a cumprir os segundos Jogos Olímpicos, perdeu pelos parciais de 7-6 (7-5), 4-6 e 4-6, não conseguindo levar a melhor sobre o jovem de 20 anos, apesar de ter vencido o primeiro 'set', num jogo com duas horas e 34 minutos.

“Satisfeito não estou, porque perdi. O ténis é assim. Hoje, não joguei mal, faltou um bocadinho de nível que tenho vindo a procurar há algum tempo, está a custar sair. Tenho de dar mérito ao adversário, que fez um bom encontro. Foram três ‘sets’ bastante renhidos, em que dois deles caíram para o lado dele, com uma quebra de serviço de diferença, tive oportunidades para devolver e não consegui”, lamentou, após a partida no Parque de Ténis Ariake.

Admitindo que, quanto ao nível que procura, vai procurar descansar e recuperar antes de definir o resto da temporada, João Sousa não comentou o que foi um jogo ‘quente’, com bastantes protestos e até conversa ‘acalorada’ entre ambos.

“Foi o calor do momento, situações em que não estava de acordo, como ele”, disse apenas.

Também o checo, “mesmo feliz” pela vitória, desvalorizou o sucedido e as ‘quezílias’ no ‘court’, porque nestas situações, “depois do jogo, percebe-se que não houve problemas”. “Durante este tipo de jogos é normal”, atirou.

O ténis português foi esta edição votado à ‘razia’ na primeira ronda, com João Sousa e Pedro Sousa a caírem na primeira ronda, tanto em singulares como quando fizeram par.

No Rio2016, João Sousa conseguiu chegar à segunda ronda, feito conseguido também em pares, com Gastão Elias, conseguindo o nono lugar no torneio de duplas.

Todas as notícias e reportagens sobre Tóquio 2020 acompanhadas ao minuto pelo SAPO Desporto

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto