Novak Djokovic vai ter de se contentar por lugar pela medalha de bronze em Tóquio2020. Derrotado nas meias-finais do torneio olímpico masculino de singulares de ténis por Alexander Zverev, o tenista sérbio vê, assim, cair por terra o sonho de se tornar no primeiro homem da história a alcançar o 'Golden Slam', ou seja, conquistar no mesmo ano os quatro torneios do Grand Slam e a medalha de ouro olímpica.

Djokovic ainda venceu o primeiro set, por claros 6-1, mas perdeu o segundo por 6-3 e, no terceiro, depois de sofrer uma primeiro break, acabou por não mais conseguir reagir, perdendo por 6-1 esse set decisivo.

"A pressão é um privilégio", diz Djokovic em busca de um inédito 'Golden Slam'
"A pressão é um privilégio", diz Djokovic em busca de um inédito 'Golden Slam'
Ver artigo

Zverev, número 5 do mundo, vai assim defrontar o surpreendete russo Karen Khachanov na final, na luta pela medalha de ouro. Já a Djokovic resta lutar pelo bronze com o espanhol Pablo Carreño Busta.

Djokovic, de 34 anos, que, em Tóquio2020, procurava o único grande título em falta na sua carreira, falha assim o sonho de completar o ‘golden slam’.  Caso vencesse o torneio olímpico, e, depois, o Open dos Estados Unidos, ‘Djoko’ tornar-se-ia o primeiro tenista masculino a conquistar os quatro ‘majors’ (Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open) e o ouro olímpico em singulares no mesmo ano.

Um feito nunca alcançado no masculino e apenas logrado uma vez na história, por Steffi Graff, em 1988. Nesse ano, a lendária tenista alemã completou o ‘golden slam’ ao vencer os quatro torneios do ‘Grand Slam’ e o ouro nos Jogos Olímpicos de Seul.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto