Medalha de ouro em Pequim2008, Londres2012 e Rio2016 e com uma série de 25 jogos consecutivos a vencer, a seleção dos Estados Unidos chegou à capital japonesa como ‘superfavorito’, mas teve um arranque da prova para esquecer.

A última derrota da ‘Dream Team’ tinha acontecido em agosto de 2004, em Atenas, perante a Argentina, por 89-81, nas meias-finais, acabando os norte-americanos por mais tarde arrecadarem a medalha de bronze.

Por seu lado, a equipa francesa voltou a fazer a vida ‘negra’ aos Estados Unidos, depois de ter eliminado os norte-americanos nos quartos de final do Mundial2019, por 93-76.

Na Saitama Super Arena, o extremo Evan Fournier, que atua precisamente na Liga norte-americana, nos Boston Celtics, foi a grande figura do triunfo francês, com 28 pontos, incluindo um triplo a menos de um minuto do final da partida, que praticamente deixou os Estados Unidos em possibilidades de recuperação.

Mesmo sem deslumbrar, a equipa de Gregg Popovich fez o suficiente para chegar ao intervalo em vantagem (45-37), mas um terceiro período de pesadelo para os norte-americanos e de sonho para os franceses acabou por ser determinante para o resultado final da partida.

Os Estados Unidos ainda deram a volta ao marcador no quarto período, com a ajuda de Jrue Holiday, campeão pelos Milwaukee Bucks, que terminou o encontro com 18 pontos, mas a França voltou a superiorizar-se até final.

Além de Fournier, Rudy Gobert, com 14 pontos e nove assistências, e Nando de Colo, com 13 pontos e cinco assistência, foram outras figuras de destaque na formação gaulesa.

A França lidera agora o Grupo A em conjunto com a República Checa, que venceu o Irão por 84-78, num encontro em que iniciou o quarto período com 21 pontos de vantagem e que deixou a seleção asiática ganhar alguma esperança nos minutos finais.

No Grupo B, a Austrália, quarta classificado no Rio2016, arrancou a prova um esperado triunfo sobre a Nigéria, por 84-67, com 25 pontos e seis assistências de Patty Mills, dos San António Spurs.

No mesmo agrupamento, num duelo 100% europeu, a Itália venceu a Alemanha por 92-82, graças a um grande quarto período, com um parcial de 24-10.

Simone Fontecchio, com 20 pontos, Danilo Gallinari e Stefano Tonut, ambos com 18, foram os principais destaques da equipa transalpina.

Neste torneio, qualificam-se para os quartos de final os dois primeiros de cada um dos três grupos e ainda os dois melhores terceiros colocados.

Todas as notícias e reportagens sobre Tóquio 2020 acompanhadas ao minuto pelo SAPO Desporto

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.