O desempenho do hipismo português nos Jogos Olímpicos Tóquio2020 saldou-se por um diploma, com a oitava posição no ensino por equipas, um 10.º lugar no concurso de saltos por obstáculos e um 16.º no Grand Prix Freestyle.

Luciana Diniz, 50 anos, foi última entre os lusos a competir no Parque Equestre de Tóquio, ficando a um obstáculo, o 13.º e penúltimo, de ir discutir os primeiros lugares num 'jump off', que reuniu seis cavaleiros.

Num circuito distinto do da véspera, Luciana, montando Vertigo du Desert, concluiu a prova em 84,69 segundos, derrubando o penúltimo obstáculo, para uma penalização de quatro pontos, que a atirou para o 10.º posto entre os 30 finalistas.

Em Londres2012, a luso-brasileira, que promete continuar a lutar por uma medalha para Portugal em Paris2024, teve o azar de perder o estribo no fim do seu percurso, sendo 17.ª, e, no Rio2016, fez falta no derradeiro obstáculo, ficando em nono lugar. Em Atenas2004, tinha sido 38.ª, em representação do Brasil.

No ensino equestre, a seleção fez história ao ser finalista, concluindo o Grand Prix Special na oitava posição, conquistando um diploma em prova ganha pela Alemanha.

Maria Caetano, Rodrigo Torres e João Miguel Torrão apuraram-se com o sétimo registo, contudo acabaram ultrapassados pela Espanha, na disputa das medalhas, que teve a Alemanha, ouro, Estados Unidos, prata, e Grã-Bretanha, bronze, no pódio.

Este foi o regresso de Portugal a uma final olímpica de equipas de ensino após Pequim2008, com Daniel Pinto, Carlos Pinto e Miguel Ralão Duarte, que desistiu da prova porque a égua mostrou medo do ecrã instalado no recinto.

Antes, nesta disciplina, Portugal conquistou uma medalha de bronze, em Londres1948, por Francisco Valadas Jr., Fernando Paes e Luís Mena, tendo os dois primeiros também chegado à final em Helsínquia1952, então com Reimão Nogueira.

Rodrigo Torres, montando o Fogoso, terminou no 16.º lugar o Grand Prix Freestyle, com um novo recorde pessoal.

O cavaleiro de 44 anos, somou 78,943% pontos na final individual, vencida pela germânica Jessica von Bredow-Werndl, que montou TSF Dalera, com 91,732%. A também alemã Isabell Werth e a britânica Charlotte Dujardin terminaram na segunda e terceira posições, com 89,657% e 88,543%, respetivamente.

Gonçalo Conchinhas Carvalho tinha sido o último português a disputar a prova olímpica de ensino em equestre, em Londres2012, tendo chegado à final e terminado igualmente no 16.º.

A melhor classificação nacional nesta disciplina continua a ser o nono lugar alcançado por Fernando Paes, também na capital britânica, em 1948, quando conquistou a medalha de bronze por equipas, com Francisco Valadas Jr. e Luís Mena.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.