A canoísta portuguesa Joana Vasconcelos considerou hoje que o seu desempenho ficou aquém do que esperava nos Jogos Olímpicos Tóquio2020 e que isso se deveu a uma “época extremamente longa e desgastante”.

“Tive uma época muito longa, intensa e desgastante, pois tive de ir a dois apuramentos e só o consegui no último, em maio e na Sibéria. Aqui, estou a pagar a fatura de tudo isso”, disse à Lusa, assumindo não estar no “máximo” da sua capacidade “física e mental”.

Joana Vasconcelos qualificou-se em K1 500 metros para Tóquio2020, tendo-se ficado pelos quartos de final, o mesmo resultado que obteve em K1 200 metros, nos quais também não foi além dos ‘quartos’.

“Tentei dar o meu melhor… Claro que queria mais, mas não foi possível. Não estou tão bem nestes Jogos, mas contente por ter mais uma participação olímpica. Agora é trabalhar para Paris2024”, disse a canoísta, de 30 anos.

Para os próximos Jogos Olímpicos admitiu que “gostava de fazer tripulações de equipa”, regressando a um formato no qual foi bem-sucedida em Londres2012, com o sexto lugar em K2 500 metros e em K4 500 metros.

“Sempre gostei muito de ambas as embarcações, não tenho nenhuma favorita. Dou-me muito bem com barcos de equipas, quem sabe não regressaremos a este modelo”, disse, com pena de não as poder ter treinado esta temporada.

Agora, deseja terminar o ano “em bom plano” nos Mundiais, que vão decorrer em Copenhaga, no terceiro fim de semana de setembro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto