Depois do desaire com a Comunidade de Estados Independentes (CEI), nas meias-finais da edição de 1992, em Barcelona, as norte-americanas ganharam todos os encontros, incluindo os que lhe valerem um bronze (1992) e seis ouros (1996 a 2016).

A’Ja Wilson, com 19 pontos e 13 ressaltos, liderou as norte-americanas, secundada por Brittney Griner, com 13 pontos e 10 ressaltos, Breanna Stewart, com nove pontos e 11 ressaltos, Diana Taurasi, com 10 pontos, e Sue Bird, com 13 assistências.

Sue Bird, de 40 anos, e Diana Taurasi, de 39, podem fazer história no Japão, com o quinto ouro consecutivo – ganham desde 2004 -, que seria inédito para atletas de provas coletivas.

Na formação nigeriana, destaque para os 16 pontos de Ezinne Kalu, com 16 pontos e seis ressaltos, e os 11 pontos de Victoria Macaulay.

A Nigéria ainda deu luta no primeiro período, que liderou por sete pontos (8-1) e acabou três à maior (20-17), mas as norte-americanas foram avassaladoras no segundo e, com um parcial de 27-12, chegaram ao intervalo já a vencer por 44-32.

No terceiro parcial, os Estados Unidos acentuaram a sua superioridade e chegaram a uma vantagem superior a 20 pontos, para fecharem a vencer por ‘redondos’ 70-50.

As nigerianas ainda sonharam no quarto período, com um parcial de 12-0 no quarto período, que as colocou a oito pontos (75-67, com 3.19 minutos para jogar), mas os Estados Unidos não permitiram uma maior aproximação.

O conjunto norte-americano reparte a liderança do Grupo B com o anfitrião Japão, que superou a França por 74-70.

Todas as notícias e reportagens sobre Tóquio 2020 acompanhadas ao minuto pelo SAPO Desporto

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto