Biles, de 24 anos, considerada uma das melhores ginastas de sempre, ausentou-se por momentos, acompanhada pelo médico da seleção dos Estados Unidos, regressando algum tempo depois para abraçar as colegas Grace McCallum, Sunisa Lee e Jordan Chiles.

A equipa norte-americana, cujo domínio da modalidade já tinha sido ameaçado pela Rússia, que se impôs na ronda de qualificação para a final de hoje, ficou em posição ainda mais fragilizada para defender em Tóquio a medalha de ouro conquistada há cinco anos, no Rio de Janeiro.

"Simone Biles vai ser avaliada diariamente para perceber a evolução do seu estado clínico, de forma analisar a participação em competições futuras", esclareceu a federação norte-americana, deixando no ar a possibilidade de competir nos concursos individuais.

Recorde-se que Simone Biles está ainda na luta por medalhas nas provas individuais, que decorrem apenas na quinta-feira.

Acabou por ser a Rússia a conquistar a medalha de ouro na prova por equipas feminina, um título que escapava há 29 anos e que quebra a hegemonia dos Estados Unidos.

A representação russa, composta por Vladislava Urazova, Viktoriia Listunova, Angelina Melnikova e Liliia Akhaimova, totalizou 169,528 pontos, superando a dos Estados Unidos, segunda classificada, com 166,096, e da Grã-Bretanha, que conquistou a medalha de bronze, com 164,096.

Os 15 atletas com mais medalhas olímpicas

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.