Na estreia no Grupo C da competição, as suecas, finalistas da edição de 2016, bateram de forma inapelável as norte-americanas, recordistas de medalhas de ouro (1996, 2004, 2008 e 2012), graças aos golos de Stina Blackstenius (dois) e Lina Hurtig, e lideram o grupo, com três pontos, os mesmos da Austrália, que bateu a Nova Zelândia por 2-1.

Da mesma forma, o Brasil aplicou uma ‘mão’ cheia (5-0) à China, no Grupo B, com golos de Debinha, Andressa, Beatriz e um ‘bis’ de Marta, a primeira jogadora a marcar em cinco edições seguidas dos Jogos, numa partida na qual também Formiga fez história.

A veterana futebolista ‘canarinha’, de 43 anos, tornou-se a atleta de desportos coletivos com mais participações olímpicas (sete).

Na primeira jornada do Grupo B registou-se outro momento de realce, com a seleção dos Países Baixos, que divide a liderança com as brasileiras, a golear a Zâmbia por expressivos 10-3, naquele que é o encontro com mais golos na história do torneio de futebol feminino dos Jogos Olímpicos.

No Grupo A, o anfitrião Japão empatou 1-1 com o Canadá, enquanto a Grã-Bretanha venceu por 2-0 o Chile. Antes do início do encontro, britânicas e chilenas ajoelharam-se no relvado, em protesto contra o racismo, à semelhança do que fizeram as jogadoras de Suécia, Estados Unidos e Nova Zelândia nos respetivos jogos.

Apesar de a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 apenas se realizar na sexta-feira, a competição arrancou hoje com os torneios de futebol feminino e de softball.

Devido à pandemia de covid-19, os Jogos Olímpicos foram adiados por um ano, decorrendo até 08 de agosto, na capital japonesa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto