A canoísta Teresa Portela considerou hoje que será “muito difícil” qualificar-se para a final de K1 500 metros dos Jogos Olímpicos, uma vez que “há ainda mais candidatas do que nos 200 metros” em Tóquio2020.

“Só passam à final as duas primeiras de cada uma das semifinais. Gostava de ser bem-sucedida, mas os 500 metros estão ainda mais competitivos do que os 200, onde via 12 candidatas à final e agora perspetivo umas 20”, disse Teresa Portela à Lusa.

No Sea Forest Waterways, a canoísta, de 33 anos, foi segunda na sua série, ao completar a prova em 1.48,727 minutos, a 768 milésimos da vencedora, a belga Hermien Peters, em regata que qualificava as três primeiras.

“Tinha boas adversárias na minha eliminatória, mas não sei se dei o meu máximo. Preparei-me este tempo todo para os 200 metros, pelo que não sei como foi a gestão do meu esforço. Acredito que na quinta-feira vou dar mais”, completou.

Teresa Portela foi 10.º no K1 200 metros de Tóquio2020 e no Japão tenta melhorar o 11.º alcançado no Rio2016 e em Londres2012, somando igualmente um 14.º em Pequim2008 nesta tripulação, na sua estreia olímpica.

“Fiz sempre esta distância nos Jogos Olímpicos, pelo que quero deixar a minha marca mais uma vez. Evitar os quartos de final faz com que me poupe para a semifinal. Quero desfrutar e logo verei o que acontece, mas não tenho uma expectativa concreta”, admitiu.

Apesar de reconhecer que vai ser “muito difícil” ultrapassar o seu melhor desempenho na distância, promete “não atirar a toalha ao chão e ir à luta” pelo seu objetivo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto