O sul-africano Luvo Manyonga, vice-campeão olímpico de salto em comprimento, foi hoje suspenso por quatro anos por falhas nas obrigações relativas aos procedimentos antidoping, anunciou hoje a unidade de integridade do atletismo.

A confirmar-se o castigo, o atleta, de 30 anos, que estava suspenso provisoriamente desde janeiro e que sofreu o segundo castigo do género na carreira, vai falhar os Jogos Tóquio2020 e Paris2024.

As autoridades do atletismo acusam-no de ter falhado um controlo em 26 de novembro de 2019 e de ter sido, em duas ocasiões, muito impreciso quando ao seu paradeiro em 2020.

Manyonga, que não compete desde setembro de 2019, quando foi quarto nos Mundiais do Qatar, pode recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto.

O atleta, medalha de prata no Rio2016, foi campeão do mundo em 2017, em Londres, e ‘vice’ indoor em 2018, em Birmingham, tendo como recorde pessoal 8,65 metros, o melhor registo do continente africano.

O sul-africano já tinha sido suspenso por 18 meses, em 2012, por um controlo positivo com metanfetamina, facto que motivou agora uma pena mais severa, com início retroativo a 23 de dezembro de 2020.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto