A antiga capitã da seleção angolana feminina de andebol, Odeth Tavares, apelou esta segunda-feira às guarda-redes do "sete" angolano para comunicarem mais com o setor ofensivo na partida com a Eslovénia, da terceira jornada do Mundial da modalidade que decorre na Alemanha.

Em declarações à Angop, a antiga guarda-redes mostrou-se preocupada com a falta de entrosamento entre o setor mais avançado e o mais recuado, o que justifica as derrotas com a Espanha(24-28) e França (19-26) no Grupo B.

“Não é que a seleção esteja a jogar mal. Estão a jogar bem mas falta alguma atenção nos aspectos tácticos e técnicos, porque Angola está a perder por diferença de poucos golos. Se elas conseguirem manter a comunicação vão superar a Eslovénia”, frisou Odeth Tavares.

"Angola está a evoluir muito em participações em Mundiais. Este grupo B é um dos mais fortes da prova, e o sete nacional está a ombrear de igual para igual com estas seleções com um grande histórico a nível do andebol mundial", referiu.

Odeth Tavares, que também é presidente da Associação Mulher e Desporto (AMUD), confia que a guarda-redes angolana Cristina Branco, que foi expulsa após um choque com uma adversária, possa jogar na terça-feira e dar o seu melhor em campo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.