Com o objetivo de melhorar o 19.º lugar, a seleção angolana sénior feminina de andebol vai ao mundial do Japão com os níveis de exigência reduzidos, por não cumprir na íntegra o programa de preparação para a prova que arranca dia 30 de novembro de 2019.

A constatação é do presidente da Federação Angolana de Andebol (FAAND), Pedro Godinho, alegando que os constrangimentos financeiros vividos ao longo dos últimos dias fizeram retardar a viagem do combinado anglano para o palco da competição, onde pretendia efectuar um estágio de dez dias.

“Do ponto de vista desportivo, reduz-se o nível de exigência em função de não conseguirmos estar no Japão uma semana antes do início da prova. Se o planificado fosse concretizado, exigiríamos mais da equipa técnica e jogadoras”, disse, esta sexta-feira, o dirigente em conferência de imprensa.

A seleção tinha agendado um estágio de dez dias no Japão, onde já tinha confirmado jogos com a similar da Alemanha. Aproveitaria, igualmente, para se adaptar ao clima e aos fusos horários.

Pedro Godinho informou que a depreciação da moeda angolana forçou uma alteração logística, administrativa e financeira, fazendo com que o sete angolanochegue ao local apenas dia 29.

Ainda assim, de acordo com o presidente federativo, as jogadoras prometem uma boa prestação.

Angola, que participa na prova pela 14.ª vez, figura no grupo A, com a Holanda, Noruega (tricampeã mundial), Eslovénia, Cuba e Sérvia, esta última adversária de estreia no dia 30.

Para esta empreitada, o selecionador Morten Soubak chamou as seguintes jogadoras: Teresa Almeida “Bá”, Helena de Sousa, Amália Pinto (guarda-redes), Janeth Santos, Vilma da Silva, Iracelma da Silva (pontas), Albertina Kassoma, Liliana Venâncio, Ruth João (pivôs), Wuta Dombaxi, Aznaide Carlos “Zica”, Juliana Machado, Magda Cazanga (laterais), Natália Bernardo, Isabel Guialo “Belinha” e Helena Paulo (centrais).

No mundial passado, realizado na Alemanha, em 2017, Angola ocupou a 19.ª posição.

Nelson Catito assume seleccão masculina após saída de Felipe Cruz

O técnico angolano Nelson Catito é o novo selecionador sénior masculino de andebol de Angola, em substituição de Filipe Cruz. Cruz vai ser selecionador da República Democrática do Congo.

Apresentado, esta sexta-feira em conferência de imprensa, Nelson Catito vai acumular as suas novas funções com a de treinador principal da equipa B sénior feminina do 1.º de Agosto.

O novo selecionador estará à frente da selecção até ao final do Campeonato Africano, a decorrer de 15 a 25 de janeiro, na Tunísia, competição em que Angola faz parte do grupo B, com as similares do Gabão, Nigéria e Líbia.

A composição da equipa técnica , planificação desportiva e logística serão apresentadas à direção da Federação Angolana de Andebol na próxima semana, segundo o técnico.

Nelson Catito, antigo jogador do Sporting de Luanda e 1.º de Agosto, já foi treinador adjunto da seleção masculina no campeonato africano de 2008, competição que decorreu na cidade de Luanda, em que o sete angolano ocupou a quarta posição.

Em 2010, também como adjunto, mas na selecção feminina, sagrou-se campeão africano na competição decorrida no Cairo (Egipto).

O treinador é licenciado em psicologia, bacharel em educação física e desporto e técnico de andebol com o nível três, formação feita na cidade do Porto (Portugal).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.