Já sem qualquer interesse classificativo, o jogo desta sexta-feira às 19h00 (hora de Luanda) com a RDC servirá para o selecionador angolano preparar a fase seguinte, que inicia domingo com os quartos-de-final diante do 4º colocado do outro grupo do Africano de andebol feminino que decorre em Luanda.

Em face do revés que foi a lesão de Wuta Dombaxi, contraída quarta-feira frente aos Camarões, Angola deve ter particular atenção na adaptação da sua substituta que sairá entre as experientes Lurdes Monteiro e Luisa Kiala.

Hoje, no pavilhão multiusos, à despedida com um triunfo - o quarto consecutivo -, dever-se-á juntar uma exibição que comprove o crescendo competitivo e exibicional demonstrados nos três jogos precedentes, em que Angola pulverizou todos os números da prova.

No entanto, num outro cenário, não seria surpresa se o gráfico exibicional e de eficácia caíssem, por estratégia de Filipe Cruz, para preservar o grupo para os jogos a eliminar.

Neste jogo do grupo A estarão frente-a-frente a líder invicta só com vitórias, virtual primeira classificada, e a última apenas com derrotas, apesar de chegar a Luanda com o rótulo de vice-campeã africana, na edição Argélia2014 em que Angola perdeu o título para a Tunísia contentando-se com o "bronze".

Portanto, o público adepto que se dirigir ao pavilhão de mais de 12 mil lugares poderá ser presenteado com um desses dois cenários. Tudo está na cabeça de Cruz.

Nos quartos-de-final, os prováveis adversários de Angola serão Argélia ou Guiné Conacry.

As angolanas apresentam-se diante de um adversário mais corpulento mas que na véspera se bateu e se frustrou pela primeira vitória na competição, enquanto a seleção angolana folgou por imperativo de programação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.