O presidente da Federação Cabo-verdiana de Andebol, Nelson Martins, adiantou à Inforpress que esta foi a melhor forma encontrada, já que a grande maioria dos jogadores que constituem a selecção de Cabo Verde da modalidade militam nos clubes europeus.

Para além deste estágio inicial, a direcção da federação nacional da modalidade tem ainda agendado um segundo estágio de preparação em Dezembro, que culmina com a deslocação do combinado crioulo ao Egipto, para a sua primeira participação de sempre no mundial.

Afirmou que a sua equipa directiva está no terreno há muito, de forma a criar as melhores condições para uma boa preparação do combinado nacional nesta montra mundial.

Em relação ao sorteio realizado sábado nas Pirâmides de Gizé e que colocou Cabo Verde num grupo partilhado pelos tricampeões mundial da Alemanha, Hungria e Uruguai, Nelson Martins disse que não havia por onde escolher quando se está numa competição mundial, alegando que pela disposição dos potes sempre soubera que qualquer um dos grupos seria difícil.

“Não havia hipóteses de apanhar equipas fáceis”, referiu o líder federativo, para quem “vai ser uma experiência única, pois Cabo Verde irá estar entre os melhores do mundo. Isto é um marco muito importante para o país e para o andebol cabo-verdiano”.

Composição dos grupos:

Grupo A: Alemanha, Hungria, Uruguai e Cabo Verde

Grupo B: Espanha, Tunísia, Brasil e Polónia

Grupo C: Croácia, Qatar, Japão e Angola

Grupo D: Dinamarca, Argentina, Bahrein e RD Congo

Grupo E: Noruega, Áustria, França e um representante da América do Norte (por designar).

Grupo F: Portugal, Argélia, Irlanda e Marrocos.

Grupo G: Suécia, Egipto, República Checa e um representante sul-americano (por designar).

Grupo H: Eslovênia, Bielorrússia, Coreia e Rússia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.