A antiga capitã da seleção nacional feminina de basquetebol de Angola, Nacissela Maurício, aconselhou as convocadas da equipa angolana a encararem o Afrobasket com maior determinação, cautelas e o sentimento de luta pelo resgate do titulo continental.

Em antevisão à prova, a ex-extremo e MVP (jogadora mais valiosa) do continente, referiu à Angop, que a representação do país é constituída por jogadoras experientes, que deverão encarar com muita coragem as adversarias e fazer de cada partida uma autentica final, para com maior facilidade atingir à fase derradeira da competição.

“Penso que é um bom conjunto e com bastantes perspetivas, principalmente por reunir um grupo coeso, em que despontam integrantes muito bem-dotadas tecnicamente. A entrada de Italle Lucas, pode ser um grande exemplo de mais-valia. Acho que fizeram uma boa preparação e por conhecerem muito bem o palco dos jogos, estão reunidas as condições de lutarem até à final da prova”, disse.

A antiga jogadora acrescentou ainda que o seu incentivo vai em particular as novas atletas do grupo, para que possam dar todo esforço necessário e auxiliar na progressão a outra fase mais difícil, em que os adversários também se apresentam com o mesmo objetivo.

Angola está presente em Bamako com as jogadoras Fineza Eusébio, Italee Lucas (bases), Rosa Gala, Artémis Afonso (extremos bases), Felizarda Jorge, Sónia Guadalupe, Clarisse Mpaca (extremos), Nguendula Filipe, Ana Gonçalves (extremos postes), Luísa Tomás, Whitney Miguel e Cristina Matiquite (postes).

A selecção nacional figura no grupo A, ao lado dos Camarões, Costa do Margim, Tunisina e Mali (país anfitrião). O grupo (B) é constituído por Senegal (campeã em título), Nigéria, Egipto, Guiné, República Democrática do Congo e Moçambique.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.