Os antigos treinador e jogador do 1º de Agosto, Victorino Cunha e Jean Jacques da Conceição, viram “eternizados” os seus nomes na história do clube militar com a atribuição dos seus nomes aos pavilhões de basquetebol e multiusos, num ato realizado durante a comemoração do 36º aniversário da agremiação.

Numa cerimónia orientada pelo presidente do clube, Carlos Hendrick, presenciada pelo Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas, Geraldo Sachipengo Nunda, e o Ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, as duas figuras do desporto angolano, basquetebol em particular, foram conduzidas aos recintos com os seus respetivos nomes.

O pavilhão do Rio Seco, com 980 lugares, onde as equipas de basquetebol jogam, foi reinaugurado e denominado “Victorino Cunha”, ao passo que o novo pavilhão multiusos e sem lugares sentados, situado no mesmo local, recebeu o nome de “Jean Jacques”.

Victorino Cunha, antigo jogador do Benfica de Luanda, Associação Académica de Moçambique e CDUAN, conquistou, como técnico, três dos dez títulos africanos de basquetebol sénior masculino de Angola.

Como treinador do 1º de Agosto venceu sete campeonatos nacionais e três taças de Angola.

Por sua vez, Jean Jacques Nzadi da Conceição (2,02 cm de altura), de nacionalidade angolana, nascido em 3 de abril de 1964, em Kinshasa, praticou basquetebol entre 1982 e 2003. Iniciou no 1º de Agosto, passando depois pelo Benfica de Portugal, Unicaja Málaga de Espanha, Limoges de França e Portugal Telecom.

Conquistou, com a seleção de Angola, sete Afrobasket’s, designadamente em 1989, 1991, 1993, 1995, 1999, 2001 e 2003.

Jean Jacques representou a seleção nos campeonatos do mundo de 1986, 1990 e 1994 e nos Jogos Olímpicos de 1992.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.