Numa ação invulgar no associativismo desportivo angolano, o relatório e contas da Federação Angolana de Patinagem (FAP) foi "chumbado" na última semana, obrigando a uma nova reunião para o veredicto final no sábado, em Luanda.

Realizada sobre pressão dos clubes, dado o silêncio federativo, face à orientação ministerial de renovação de mandatos até este mês de setembro, a assembleia-geral do órgão-reitor foi inconclusiva no quesito relatório e contas do último quadriénio de Hirondino Garcia, presidente de direção cessante.

O documento foi rejeitado pelos associados, por ter sido entregue apenas 48 horas antes do conclave e sem o parecer do Conselho Fiscal, tendo sido retirado da ordem de trabalho.

Na altura, Carlos Freitas, presidente do Hóquei Club 2000, afirmou à imprensa que o relatório não foi aprovado por uma questão de legalidade, esperando que o debate de sábado próximo tenha desfecho positivo.

Outro dirigente da modalidade, Carlos Gamboa, disse que os associados já estavam mentalizados de que o relatório e contas não seria aprovado devido às irregularidades na documentação.

A Mesa da Assembleia-Geral da federação é presidida por José Pedro de Morais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.