A competição de todo-o-terreno automóvel "King of Portugal" (KOP) regressa a Vimioso, distrito de Bragança, entre quarta-feira e domingo, com público, após dois anos de interregno, avançou hoje a organização.

"A prova de Vimioso esteve suspensa durante dois anos consecutivos por motivos diferentes. Em 2019 foi cancelada devido ao alerta de agravamento do risco de incêndio florestal decretado pelo governo, numa altura em que estavam em Vimioso 60 equipas de vários países. Já em 2020 a pandemia provocada pela covid-19 levou a um segundo cancelamento desta prova de todo-o-terreno automóvel”, explicou à Lusa o diretor da prova, José Rui Santos.

Nesta prova, que chegou a estar marcada para maio, vão estar 45 pilotos com veículos em competição com potências que chegam aos 740 cavalos debitados por motores V8, integrados em três classes - Unlimited, Modified, Stock/UTV's -, cujo preço na classe superior poderá chegar aos 250 mil euros por veículo.

“Devido às normas impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) tivemos que deixar de fora sete equipas. Há uma vontade e ansiedade enorme por parte dos pilotos em regressarem às provas devido aos interregnos provocados, que já duram há dois anos”, indicou vincou José Rui Santos.

Na edição deste ano do KOP vão marcar presença cerca de meio milhar de pessoas, entre pilotos e membros da organização, havendo um “plano preparado” para manter a “segurança entre todos delineado pela DGS”.

“Há um pouco de receio por parte da comitiva das 14 nacionalidades envolvidas devido aos planos de contingência que serão apresentados”, observou José Rui Santos.

Segundo a organização, são esperados cerca de dois a três mil espetadores nos dias da prova, com principal incidência no sábado e no domingo.

Em prova estarão pilotos de vários países, entre os quais Portugal, Espanha, França, Suíça, Alemanha, Holanda, Israel, Malta, Inglaterra, entre outros.

Este ano, o traçado da prova é composto por três etapas, entre as quais se destacam o circuito da pedreira e os chamados “ovos de dinossauro", tratando-se de uma zona da pista com grandes pedras que “impõem grande destreza por parte dos pilotos e equilíbrio das máquinas”.

A prova terá uma extensão total de cerca de 360 quilómetros.

O vice-presidente da Câmara de Vimioso, António Santos, disse que o KOP é importante para o comércio local, sendo sinónimo de "negócio" para os agentes económicos, com incidência na restauração, cafés, comércios e postos de abastecimento de combustíveis.

O investimento nesta prova de todo-o-terreno, de acordo com os seus responsáveis, ronda os 120 mil euros, que são suportados pelo município, empresa organizadora e patrocinadores.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.