Liga inglesa

12-09-2016 15:37

Manchester United com receitas superiores a 600 milhões

Nunca um conjunto britânico tinha superado a barreira do meio milhão de libras (cerca de 592 milhões de euros) de receitas, sendo que os ‘red devils’ atingiram um valor a rondar os 607,5 milhões de euros.
Manchester United FC vs Bournemouth FC
Foto: Lusa

Old Trafford, em Manchester

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O Manchester United teve um resultado operacional de 81,5 milhões de euros na época 2015/16, um valor que se junta ao facto de ser o primeiro clube inglês com receitas superiores a 600 milhões de euros.

Nunca um conjunto britânico tinha superado a barreira do meio milhão de libras (cerca de 592 milhões de euros) de receitas, sendo que os ‘red devils’ atingiram um valor a rondar os 607,5 milhões de euros.

Curiosamente, o sucesso financeiro do clube é diametralmente oposto ao desportivo, já que o Manchester United, sob o comando do holandês Louis van Gaal, falhou na época passada o apuramento para a lucrativa Liga dos Campeões.

Os números expressivos permitiram, entre outras coisas, ao novo treinador, o português José Mourinho, contratar à Juventus o médio internacional francês Paul Pogba pelo recorde mundial de 105 milhões de euros.

O Manchester United passou ainda de uma perda anual líquida de 1,065 milhões de euros para um lucro de 43 milhões.

As receitas totais de 607,5 milhões de euros ficam, ainda assim, aquém dos 679 milhões declarados pelo FC Barcelona em julho.

O clube estima que no final da época em curso as receitas possam subir ainda mais e variar entre 627 e 639 milhões de euros.

“O nosso recorde fiscal e desempenho financeiro refletem a força continuada e subjacente ao negócio do clube e o objetivo é alcançar uma receita recorde em 2017, mesmo sem o contributo da Liga dos Campeões”, disse o vice-presidente executivo Ed Woodward.

O dirigente lembrou que “o forte desempenho financeiro do Manchester United permitiu investir na equipa, gestão e instalações de forma a permitir vencer troféus nos próximos anos”.

Conteúdo publicado por Sportinforma