Futebol

21-03-2017 23:38

Eleições no V. Setúbal: António Santos apresenta investidor chinês

Desportivamente, o líder da lista B revelou a intenção de terminar a política de jogadores emprestados.
Estádio do Bonfim
Foto: SAPO Desporto

Estádio do Bonfim

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

António Santos, candidato às eleições do Vitória de Setúbal, assinou hoje o contrato com o investidor Noble Fortune, do grupo chinês Iberia Universal, que poderá injetar até 10 milhões de euros no clube.

O treinador da equipa sénior de andebol (lista B), que enfrenta nas urnas o atual presidente, Fernando Oliveira (lista A), e o advogado Vítor Hugo Valente (C), sublinhou que só através da entrada de investimento o clube se pode salvar.

"Ao contrário de outros, não precisamos de apoio moral de notáveis, mas de dinheiro. Revelamos agora o parceiro que temos para nos ajudar a voltar a fazer do clube o quarto maior de Portugal", disse o candidato na sessão em que o grupo investidor esteve representado por Mauro de Almeida.

Na sessão, que decorreu no auditório Charlot perante mais de 150 pessoas, foram também apresentados os anteprojetos para a recuperação do Complexo desportivo municipal da Várzea, a construção de Centro de Vale de Cobro e Academia Internacional e reabilitação do Estádio do Bonfim.

As imagens foram reveladas pelo arquiteto Jorge Santana, ex-presidente do Vitória de Setúbal, que explicou que a execução das obras será feita de forma faseada, sendo a Várzea e Vale de Cobro essenciais para proporcionar boas condições de treino à formação.

A ser eleito para o triénio 2017-2020, António Santos, de 62 anos, revelou as suas prioridades.

"Em primeiro lugar, vamos pagar aos trabalhadores do clube os salários que têm em atraso desde novembro de 2016. Depois, promoveremos uma auditoria à Sociedade Anónima Desportiva", disse.

Desportivamente, o líder da lista B revelou a intenção de terminar a política de jogadores emprestados.

"Não queremos ser ‘barriga de aluguer' de jogadores de outros clubes que lucram à custa do Vitória. O nosso plano é o contrário, queremos valorizar aqueles que são nossos e não sermos uma plataforma giratória de jogadores emprestados", frisou.

Conteúdo publicado por Sportinforma