Futebol

10-04-2017 21:22

Governo garante policiamento em todos os jogos sinalizados pelas associações

Secretário de Estado do Desporto garante policiamento em todos os jogos sinalizados pelas associações de futebol.
434b4dfefd43cb2270ddf9fbdaba6b5d4443ac67.jpg
Foto: © 2016 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

João Paulo Rebelo durante a sua intervenção no II Congresso Internacional The Future of Football.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, afirmou hoje em Sesimbra que vai haver policiamento para todos os jogos de futebol que sejam sinalizados nesse sentido por parte das associações distritais e dos árbitros.

"A partir deste momento, qualquer jogo que seja identificado pelas associações distritais de futebol, pelos árbitros, mas também com o acompanhamento do Instituto Português do Desporto e da Juventude, e que seja sinalizado como um jogo em que se requeira o policiamento, esse policiamento existirá", disse João Paulo Rebelo, que também comentou o elevado número de agressões a árbitros no futebol português.

"Não é para desvalorizar, são faltas graves, é algo profundamente lamentável e condenável esta questão das 44 agressões [a árbitros] que já estão registadas este ano. Mas é bom pôr isto em perspetiva: são 44 agressões em cento e tal mil jogos na época desportiva", acrescentou.

O Secretário de Estado do Desporto, que falava aos jornalistas à margem da cerimónia de atribuição da medalha de mérito desportivo ao selecionador nacional de hóquei em patins, Luís Sénica, esclareceu que acertou todos os detalhes sobre o policiamento dos jogos de futebol numa reunião efetuada hoje de manhã com a Secretária de Estado da Administração Interna decisão.

João Paulo Rebelo defendeu ainda a necessidade de todos os intervenientes colaborarem no combate à violência no desporto, designadamente no futebol.

"Da minha parte o que ouvem são sempre palavras que têm que ver com contenção, com tranquilidade, com respeito pelos valores, pela ética desportiva. E quero ser acompanhado por todos. Devo dizer que na reunião que tive na semana passada, com a FPF [Federação Portuguesa de Futebol], Liga de Futebol, Associação Portuguesa de árbitros, jogadores, treinadores, de todos eles colhi unanimidade", disse.

"Só espero que nós façamos alguma escola e que possamos dar o exemplo - como o Luís Sénica, que hoje foi aqui referido como exemplo. E espero ser acompanhado pelos dirigentes, pelos jogadores, pelos treinadores", acrescentou João Paulo Rebelo.

Confrontado com as queixas frequentes de dois dos principais clubes portugueses, FC Porto e Sporting, que criticam a alegada falta de verdade desportiva no futebol nacional, o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto garantiu que o governo também está empenhado em combater a viciação de resultados desportivos.

"O governo está tão empenhado no combate à violência no desporto como está empenhado no combate ao chamado ‘match fixing’, à viciação de resultados, à viciação da verdade desportiva. Estamos empenhados nosso. Não há rigorosamente desafio nenhum que não aceitemos", disse.

"Temos um plano nacional para a ética desportiva, acompanhamos as iniciativas que a FPF - e bem - tem apresentado, inclusivamente na Assembleia da República e que colheu o apoio de todos os partidos, um diploma que agrava a moldura penal para quem está envolvido nessas práticas", concluiu o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto.

Conteúdo publicado por Sportinforma