Futebol

01-06-2017 23:54

Paulo Fonseca na tomada de posse do Paços de Ferreira

Paulo Fonseca foi treinador, por duas vezes, do Paços de Ferreira.
Shakhtar Donetsk vs Celta
Foto: Lusa

Paulo Fonseca, atual treinador do Shakhtar Donetsk e antigo técnico do Paços de Ferreira

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente do Paços de Ferreira, hoje reempossado, prometeu "transparência e honestidade" aos sócios do clube da I Liga de futebol, numa cerimónia de tomada de posse marcada pela presença de Paulo Fonseca.

No auditório da Biblioteca a Municipal de Paços de Ferreira, Paulo Meneses dirigiu-se aos sócios do clube fora do registo politicamente correto, começando por dizer que "esperava ver cá toda a gente" (alusão direta aos elementos derrotados nas eleições), assegurando, depois, que espera cumprir tudo aquilo que prometeu no final do mandato, em 2019.

"Só me sentirei frustrado daqui a dois anos se me apresentar perante vós e não tiver cumprido tudo aquilo a que nos comprometemos. Não falo só de betão, mas da estrutura do clube. A grandeza do Paços de Ferreira faz-se mais do que apenas do domingo à tarde", disse Paulo Meneses.

O reeleito presidente do Paços de Ferreira assegurou, por outro lado, que "transparência e honestidade" vão nortear o seu mandato, valores com os quais acredita ser possível realizar sem comprometer a identidade do clube.

O reeleito presidente do Paços de Ferreira deu conta da necessidade de atualizar os estatutos, promovendo ajustamentos à atual redação, lançou o desafio para a compilação dos últimos 17 anos da história do clube e, sem esquecer os sócios, que considera "o maior património do clube", sugeriu medidas para recuperar, por um lado, e aumentar, por outro, o número de associados.

Entre as cerca de cinco dezenas de associados presentes na cerimónia, Paulo Fonseca, atual treinador do campeão ucraniano Shakhtar Donetsk, concentrou as maiores atenções, merecendo uma referência especial do presidente reeleito.

Na final da tomada de posse, Paulo Fonseca justificou aos jornalistas a sua presença na qualidade de "simples associado", de alguém que "deposita uma grande esperança no trabalho desta direção".

"Apoiei esta direção, porque acredito. Sei que faço parte do momento histórico do clube [com o terceiro lugar e a qualificação para a pré-eliminatória da Liga dos Campeões, em 2012/13], mas o mais importante é o que sinto e a forma próxima como me relaciono com o clube e a cidade. Mesmo à distância, não perco um jogo do Paços e as vitórias enchem-me de felicidade", disse Paulo Fonseca.

Da equipa de Paulo Meneses agora empossada para o biénio 2017/19, destacam-se Joaquim Ferreira, novo presidente da assembleia-geral, e Carlos Alves, responsável pelo conselho fiscal. Rui Seabra mantém-se como presidente adjunto, sendo o elemento mais ligado ao futebol profissional.

Nas primeiras eleições com dois candidatos na história do Paços de Ferreira, em 12 de maio, Paulo Meneses venceu de forma categórica e foi reconduzido como presidente, com um registo de 4.004 votos, contra 1.278 do seu concorrente, Carlos Barbosa, de quem foi vice-presidente.

Conteúdo publicado por Sportinforma