Moçambique

02-09-2016 16:56

Abel Xavier convoca Presidente e povo para o jogo dos “mambas”

Será o último jogo da fase de grupo de qualificação para a Taça das Nações Africanas (CAN2017).
Mo

Abel Xavier, selecionador de Moçambique

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O selecionador moçambicano de futebol, Abel Xavier, protagoniza um vídeo em que convoca, para o próximo jogo, o Presidente da República, o ministro dos Desportos e vários cidadãos do país para uma equipa "de todos e para todos".

"Os eleitos que vão representar todo o povo moçambicano são: sua excelência o Presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi. Está convocado. Sua excelência o ministro da Juventude e Desporto, Alberto Nkutumula. Está convocado", declara, solene, Abel Xavier no início do vídeo com o título "Convocatória dos Mambas".

Na véspera da receção às Maurícias, no estádio do Zimpeto em Maputo, último jogo da fase de grupo de qualificação para a Taça das Nações Africanas (CAN2017), o ex-internacional português nascido em 1972 em Nampula, norte de Moçambique, explicou à Lusa que o vídeo "é uma forma de consciencializar os moçambicanos de que a seleção é de todos e para todos".

Além dos políticos, Abel Xavier chamou a dona de casa Tina, o passageiro de chapa (carrinha de transporte público) Toninho, a jovem Olga, o operário Cossa, a vendedora informal Laura, o executivo Augusto, o menino Chavito, o pescador Chapepa e o vovô Pelembe.

"Estes serão os eleitos num compromisso extremamente importante que visa dois objetivos: vencer o jogo e dignificar a nossa pátria", afirma o selecionador de Moçambique no vídeo, que termina com todos os escolhidos, menos os políticos, a entrar em campo, e uma mensagem alargada ao resto da população: "Estão todos convocados!"

O filme foi preparado para a Federação Moçambicana de Futebol pelos formandos do Olhar Artístico, um projeto de formação em cinema, televisão e teatro e inserido no espírito que Abel Xavier quer criar de que "a seleção é transversal" a toda a sociedade moçambicana.

"A minha intenção, nos momentos atuais, é unir o país através do desporto", comentou à Lusa o antigo futebolista, numa alusão à crise económica e política que Moçambique enfrenta.

Abel Xavier espera muito público no estádio do Zimpeto, num momento em que Moçambique segue no quarto e último lugar do grupo H com quatro pontos, menos dois do que Maurícias e Ruanda, e a nove do já apurado Gana.

Apesar de o apuramento direto ser matematicamente impossível, o selecionador dos ‘mambas’ mantém a esperança de alcançar o segundo lugar na última jornada do grupo e beneficiar de uma possível desistência de uma seleção qualificada para a fase final, por não preencher os requisitos necessários.

"Temos a expetativa de que tudo é possível", declara Abel Xavier, assinalando que, em qualquer circunstância, do trabalho que vem realizando na seleção "já se podem tirar muitas ilações" sobre o caminho a trilhar daqui para a frente.

Para o jogo contra as Maurícias, o selecionador chamou 24 jogadores, incluindo Bheu, do Nacional da Madeira, Reinildo, do Benfica B, e Reginaldo, do Santa Clara.

Abel Xavier chegou à seleção em janeiro, substituindo o croata Boris Pusic, quando Moçambique já acumulava maus resultados na qualificação para o Mundial2018 e para a CAN2017, incluindo uma derrota histórica nas Maurícias, adversário no jogo de sábado.

Quando foi apresentado, o antigo internacional português disse que pretendia criar "uma dinâmica diferente, com rigor e disciplina" e mantinha a esperança de ainda conseguir a classificação dos "mambas" para a fase final da CAN2017, a disputar no Gabão..

Abel Xavier começou a carreira no Estrela da Amadora, passando depois pelo Benfica antes de rumar a vários campeonatos em clubes como o Liverpool, Roma, PSV ou Galatasaray, terminando em 2008 nos Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos.

Principiou a carreira de treinador em 2013 no Olhanense e passou pelo Farense e Desportivo das Aves.

Conteúdo publicado por Sportinforma