Rio2016

05-08-2016 19:31

Phelps, Nadal, Murray, Riner e Pellegrini entre os porta-estandartes

Dos PALOP, foram escolhidos a andebolista Luisa Kiala (Angola), logo a sétima a entrar, a lutadora de taekwondo Maria Andrade (Cabo Verde).
Phelps
Foto: DR

Phelps

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O nadador norte-americano Michael Phelps, os tenistas Rafael Nadal (Espanha) e Andy Murray (Gra-Bretanha) e o judoca francês Teddy Riner são alguns dos mais famosos porta-estandartes que vão hoje desfilar na Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos Rio2016.

Do primeiro a entrar no mítico Estádio Maracanã, a velejadora grega Sofia Bekatorou, à 207.ª, a brasileira Yane Marques, do pentatlo moderno, muito são as ‘estrelas’ do desporto que levantarão bem alto as bandeiras dos seus países.

O basquetebolista Luís Scola, que há muito joga na NBA, é a primeira vedeta a entrar em cena, já que a Argentina é a 11.ª a irromper no recinto, com a tenista dinamarquesa Caroline Wozniacki a aparecer no 57.º posto.

Pouco depois, na 68.ª posição, surgirá no estádio o tenista espanhol Rafael Nadal, para, logo a seguir, apenas com os Estados Federados da Micronésia pelo meio, surgir o nadador norte-americano Michael Phelps, ‘apenas’ o atleta da história dos Jogos com mais medalhas (22) e mais ouros (18).

O desfile conta a seguir, no 77.º lugar, com o judoca francês Teddy Riner, para no 82.º, surgir o tenista escocês Andy Murray a liderar o contingente da Grã-Bretanha.

Além de Phelps, mais dois nadadores de renome serão porta-estandartes no Rio2016, nomeadamente a italiana Federica Pellegrini, na 102.ª posição, e o tunisino Oussama Mellouli, na 191.ª.

Dos PALOP, foram escolhidos a andebolista Luisa Kiala (Angola), logo a sétima a entrar, a lutadora de taekwondo Maria Andrade (Cabo Verde), a 35.ª, o lutador Augusto Midana (Guiné-Bissau), o 89.º, e o canoísta Joaquim Lobo (Moçambique), o 128.º.

O velejador João Rodrigues, que cumpre a sétima presença em Jogos Olímpicos, vai chegar na 153.ª posição, liderando uma comitiva lusa com 34 atletas e ainda o ex-futebolista Pauleta, em representação da equipa de futebol.

Para o final, no 206.ª lugar, será a vez de Rose Lokonyen Nathike, que compete em atletismo, aparecer na liderança da Equipa Olímpica de Refugiados, a penúltima delegação a pisar o Maracanã, antes do Brasil fechar o longo desfile.

Conteúdo publicado por Sportinforma