Ténis de mesa

08-08-2016 22:35

Marcos Freitas: "Quero é mesmo medalhas, pódios"

O mesatenista luso já está nos quartos de final do torneio olímpico.
Marcos Freitas
Foto: ANTÓNIO COTRIM / LUSA

Marcos Freitas

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O português Marcos Freitas garantiu hoje que a conquista de um diploma na prova individual de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos Rio2016 não conta muito, pois ambiciona chegar a pódios.

O madeirense, 11.º do ‘ranking’ mundial, assegurou hoje a presença nos quartos de final do torneio individual e pelo menos o quinto lugar, depois de vencer o ucraniano Kou Lei, 42.º, por 4-0, com os parciais de 11-8, 11-7, 11-5, 11-7, em 29 minutos. “O diploma [destinado aos oito primeiros] não conta para muito, já o tive há quatro anos, na prova por equipas. Eu quero é mesmo medalhas, pódios. O meu principal objetivo não é uma medalha já, mas sim passar à próxima ronda, aí sim estarei a um jogo de uma medalha”, afirmou.

Apesar de ter garantido o primeiro diploma individual do ténis de mesa português, Marcos Freitas assegurou que “não é nenhuma surpresa” estar nos quartos de final, porque é o oitavo cabeça de série. “Toda a gente sabe que é difícil, há muitos jogadores bons. Ontem [domingo] defrontei um romeno muito bom, hoje um ucraniano. Consegui vencer, não fiz nenhuma surpresa. O objetivo é ganhar o próximo jogo para chegar à meia-final e, se isso acontecer, terei dois jogos para ganhar uma medalha”, afirmou.

Marcos Freitas considerou que tinha como objetivo inicial “passar ronda a ronda” e que já conseguiu “sobreviver a estas duas rondas”. “Hoje joguei realmente muito bem, frente a um adversário melhor do que o de ontem [domingo]. Estive perfeito a nível tático, consegui controlá-lo do primeiro ‘set’ até ao último. (...) O próximo jogo vai ser ainda mais difícil”, disse.

Na próxima ronda, Marcos Freitas vai jogar com o japonês Jun Mizutani, quarto cabeça de série, a quem venceu uma vez e perdeu várias. O nipónico afastou o brasileiro Hugo Calderano.

Conteúdo publicado por Sportinforma