Jogos Olímpicos 2016

15-07-2017 12:13

Justiça brasileira desistiu do processo movido ao nadador Ryan Lochte

Lochte e os seus colegas de equipa disseram ter sido assaltados por falsos polícias, mas investigação revelou que a versão dos nadadores era mentira.
Olympic Games 2016 Swimming
Foto: Lusa

Justiça brasileira decidiu voltar atrás no processo que moveu a Ryan Lochte

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A justiça brasileira desistiu do processo de "falsa denúncia de crime" contra o nadador norte-americano Ryan Lochte, que alegou ter sido vítima de um assalto à margem dos Jogos Olímpicos Rio2016, segundo o seu advogado.

"Estamos contentes com a decisão do tribunal que acabou por fechar o processo sem mais contra Lochte, reconhecendo que não cometeu nenhum crime", explicou ao USA Today, citado pela AFP, o advogado do atleta, Jeff Ostrow, acrescentando que "foi um ano longo mas, no final, prevaleceu a justiça".

Lochte e os seus colegas de equipa Gunnar Bentz, Jack Conger e James Feigen, todos vencedores de medalhas de ouro no Jogos Olímpicos do ano passado, na cidade brasileira do Rio de Janeiro, disseram ter sido assaltados por falsos polícias a 14 de agosto, quando entravam num táxi na cidade olímpica depois de uma noite de festa.

No entanto, na realidade, ao regressarem de uma festa nesse dia, danificaram um posto de abastecimento de combustível e envolveram-se numa confusão com os seguranças do espaço.

Após o incidente, os nadadores informaram a polícia de que tinham sido vítimas de um assalto mas, mais tarde, as autoridades desmontaram essa versão na sequência de investigações.

Ryan Lochte, que soma um total de 12 medalhas olímpicas, esteve suspenso por 10 meses pelo Comité Olímpico dos Estados Unidos, até 30 de junho último, ficando de fora dos Mundiais, que estão a ser disputados em Budapeste.

Conteúdo publicado por Sportinforma